Açougues são alvo de investigação

Açougues são alvo de investigação

A falta de higiene e infraestrutura, mau cheiro, temperaturas e armazenamento incorretos e produtos fatiados sem rótulos de informações são algumas das reclamações de clientes de supermercados, açougues, mercearias ou quaisquer tipos de atividades comerciais que exponham e vendam carne em Araxá.

De acordo com um funcionário de uma casa de carnes, há vários anos a Vigilância Sanitária não realiza inspeção e muitos estabelecimentos fazem a comercialização dos produtos sem o alvará de funcionamento que só é liberado após a fiscalização. A Secretaria Municipal de Saúde está ciente do problema e vai realizar um trabalho intenso de fiscalização e orientação dos proprietários.

Para a conservação desses produtos, alguns critérios básicos devem observados, como a importância das boas condições dos equipamentos da seção de carnes; piso, paredes e teto impermeáveis e de fácil higienização; a câmara fria deve possuir termômetro de ambiente e, se possível termógrafo, devidamente aferidos e sua temperatura interna deve ser mantida de zero grau Celsius a dois graus Celsius; a sala de manipulação do produto deve estar sintonizada para não quebrar a cadeia de frio; mesas e bancadas devem ser de aço inoxidável, com cantos arredondados e acabamentos sanitários; a limpeza do amaciador de carnes deve ser feita imediatamente depois de cada operação que utilizar carnes diferentes (bovina e suína), entre outros.

Segundo o funcionário, no máximo três estabelecimentos atendem as medidas previstas em lei. “Têm oito anos que a Vigilância Sanitária não faz uma inspeção em açougues. Para comprovar, é só chegar a um desses estabelecimentos e solicitar o alvará de funcionamento. A maioria não tem, porque para ser emitido é necessário que a vigilância faça uma fiscalização e libere o açougue. Até supermercados bem equipados e que na teoria passariam por uma vistoria são alvo de reclamações dos fornecedores de carnes por não aguentarem o mau cheiro da câmara fria”, diz.

O secretário municipal de Saúde, Antonio Marcos Belo, diz que a reclamação sobre a falta de qualidade das carnes comercializadas em Araxá procede.

“É papel da Secretaria de Saúde estar atenta ao que acontece com os alimentos que a população consome em suas casas. Vamos reunir a equipe da Vigilância Sanitária para programar visitas e orientar os estabelecimentos para solucionarmos esse problema o mais rápido possível. Estamos preocupados, porque as pessoas querem ter mais lucro e, muitas vezes, desligam os congeladores à noite, colocando em risco a saúde da população. É a discussão do lucro versus a saúde pública, mas temos que ficar atentos e a partir de agora vamos focar e intensificar a fiscalização.”

De acordo com ele, todos os estabelecimentos que fazem comercializam carnes serão fiscalizados. “Com essa denúncia, vamos agilizar o trabalho, já que a carne é um alimento perecível e se não for conservada da maneira adequada poderemos ter um grande risco para toda a comunidade. O empresário que não se adequar pode ter seu estabelecimento comercial fechado, mas inicialmente vamos fazer um trabalho de orientação e de alerta”, afirma.

“Em um segundo momento, vamos multar e em casos extremos acionar o Ministério Público para que atitudes sejam tomadas. A questão dos alvarás é seríssima, o estabelecimento que não estiver com o documento em dia será multado imediatamente. Todo empreendimento deve possuir alvará, é lei. Nós, como autoridades sanitárias, temos que cumprir a lei”, acrescenta o secretário.

Notícias relacionadas