Super banner
Super banner

Africanos são presos em Araxá por tentativa de estelionato

Africanos são presos em Araxá por tentativa de estelionato

Foto: Polícia Militar

Neste domingo (5), por volta das 16h, a Polícia Militar (PM) recebeu denúncias sobre três africanos, sendo um homem e duas mulheres, estavam aplicando estelionato em Araxá.

De acordo com a ocorrência, eles estavam oferecendo para pessoas um produto químico que limpava cédulas de Real sujas, secavam elas com um ferro de passar roupas e depois demonstravam que as mesmas seriam verdadeiras com uma lanterna de testes. Eles cobravam a quantia de R$ 10 mil para vender as notas sujas junto com a substância química, dizendo ainda que tinham grande quantidade de dinheiro na cidade de Salvador, capital da Bahia.

Ainda segundo a denúncia, os autores estavam hospedados em um hotel no Centro de Araxá. Durante rastreamento, a Polícia Militar localizou dois homens em uma pensão próxima do local apontado pela denúncia, onde eles tentavam aplicar o golpe.

Os indivíduos foram identificados como D.K.P. e J.M.. O autor D.K.P. apresentou passaporte da Libéria e um documento provisório de identidade de estrangeiro expedido pela Polícia Federal, dizendo ser refugiado da Libéria.

Foto: Polícia Militar

O autor J.M. não apresentou nenhum documento. Dentro do quarto onde estavam os suspeitos foram encontrados US$ 100, além de R$ 390 em notas diversas. Foram encontrados também uma lanterna para identificar notas falsas, um miniferro de passar (condizente com a denúncia) e um celular.

Em relação às mulheres que os acompanhavam, alegaram não conhecê-las, porém, relato de terceiros disseram que elas estiveram na pensão momento antes da chegada da polícia.

Os dois suspeitos falavam em inglês, espanhol e francês, dizendo poucas palavras em português, dificultando, assim, o levantamento de mais informações. Diante do exposto, o material arrecadado, bem como os suspeitos da tentativa de estelionato foram apreendidos e os autores foram conduzidos até a Delegacia de Polícia Civil para mais esclarecimentos.

Notícias relacionadas