Aftosa: Minas terá declaração eletrônica de vacinação

Aftosa: Minas terá declaração eletrônica de vacinação

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) vai apoiar o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) na implantação e divulgação do novo programa estadual para declaração eletrônica de vacinação contra febre aftosa.  A Federação deve começar, ainda este ano, a capacitar funcionários dos Sindicatos Rurais para atender aos produtores.

Vantagens e o passo a passo da declaração eletrônica foram apresentados na manhã desta quarta (22), aos membros da Diretoria e da Assessoria Técnica da Faemg pelo diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, e pelo médico veterinário da Gerência de Defesa Animal (GDA) do Instituto, Bruno Rocha Melo.

Segundo Bruno Melo, a declaração funcionará vinculada aos novos procedimentos para o controle do estoque, da entrada e venda de vacinas contra febre aftosa, raiva dos herbívoros e brucelose, estabelecidos pela Portaria 1430, que entra em vigor a partir de 1º de novembro. Com ela, haverá a disponibilização da nota fiscal eletrônica da compra da vacina, o que alimentará o sistema para que o produtor possa gerar a declaração. “Em algum tempo, Minas Gerais terá total gestão espacial das propriedades não-imunizadas e rastreabilidade de lotes e partidas. Um grande avanço em segurança e sanidade dos rebanhos”, explica.

Inicialmente, a plataforma estará à disposição do produtor sem obrigatoriedade, o que significa que, caso prefira, ele poderá continuar fazendo a declaração presencialmente nos escritórios regionais do IMA. Entretanto, os ganhos devem atrair um número crescente de adesões já nos primeiros anos após sua implementação, segundo Altino Rodrigues Neto: “Acreditamos que trará profunda transformação para a defesa sanitária em nosso estado, com mais agilidade e comodidade ao produtor, além de mais transparência ao processo. Para o IMA, também trará grande avanço, ao liberar equipes do trabalho burocrático para atendimento a campo”.

O presidente do Sistema Faemg, Roberto Simões, também afirmou acreditar no sucesso da inovação: “Mesmo que haja alguma resistência inicial ou mesmo dificuldades do produtor para se adequar à novidade, o rumo está dado e é acertado sob diversos aspectos para continuarmos progredindo no desenvolvimento da nossa agropecuária mineira. A Faemg valoriza os ganhos que essa plataforma oferece e trabalhará junto ao IMA pela sua viabilização em todo o estado”.

Notícias relacionadas