Agressor do músico Otávio de Mederos é pronunciado por homicídio duplamente qualificado

Agressor do músico Otávio de Mederos é pronunciado por homicídio duplamente qualificado

Foi publicada a sentença de pronúncia do juiz da Vara Criminal de Araxá Dr. Renato Zupo sobre a morte do músico Otávio de Mederos, que foi agredido na Boate Anturius na madrugada do dia 21 de agosto de 2011. Ele caiu de uma escada após ser agredido, bateu a cabeça no chão e sofreu traumatismo craniano. Otávio morreu no dia 27 do mesmo mês depois de ficar quase uma semana internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Misericórdia. O músico foi agredido por Samuel Torres Cruz, conhecido como Gnomo, que foi pronunciado na sentença do juiz criminal por homicídio duplamente qualificado.

O agressor alegou durante o processo judicial que agrediu a vítima porque o músico estava lhe provocando e trombou nele dentro da boate. Otávio estava com a ex-namorada de Samuel quando a agressão aconteceu. Já as testemunhas que prestaram depoimento no processo relataram que não viram Otávio provocando Samuel e nem trombando nele na boate. Todas as testemunhas afirmaram que Samuel chegou de surpresa pelas costas da vítima e a cutucou. Otávio se virou para trás sem saber do que se tratava e, segundo as testemunhas, recebeu um violento soco no maxilar que o fez cair para trás sem nenhuma reação. Ele foi socorrido por amigos e encaminhado ao hospital pelo Corpo de Bombeiros.

Ao cair da escada após levar o soco, o músico, que tinha 27 anos, bateu a cabeça no chão e sofreu traumatismo craniano, falecendo seis dias depois na UTI da Santa Casa de Araxá. Samuel, que tinha 24 anos quando agrediu Otávio, foi preso no mesmo dia da agressão e teve a sua prisão preventiva decretada pelo juiz Renato Zupo no dia 24 de agosto de 2011.

Samuel ficou detido no presídio local por pouco mais de um mês, pois os seus advogados conseguiram um habeas corpus no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) no dia 28 de setembro e ele está solto desde então.  Agora o agressor foi pronunciado pelo Dr. Renato por homicídio consumado e duplamente qualificado pelo motivo fútil da agressão e pelo recurso que dificultou a defesa da vítima.

Os advogados de Samuel já recorreram dessa sentença de pronúncia ao TJMG. Se a sentença de Zupo for mantida, o agressor será julgado em Araxá pelo Tribunal do Júri, que é formado por sete pessoas da nossa cidade. Esses jurados decidirão se o acusado é culpado ou inocente. Se Samuel for considerado culpado pelo homicídio duplamente qualificado do músico Otávio de Mederos, a sua pena pode ser de 12 a 30 anos de prisão.

Germano Afonso 

Notícias relacionadas