Alunos expõem trabalhos durante o Encontro de Educação Ambiental e Sanitária

Alunos expõem trabalhos durante o Encontro de Educação Ambiental e Sanitária

Encontro de Educação Ambiental e Sanitária 2011

Da Redação – Araxá recebe 1º Encontro de Educação Ambiental e Sanitária realizado pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), no auditório da Acia. O encontro aconteceu de quarta (16) a sexta-feira (18) teve como parceiros o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e a Secretaria Municipal de Educação. Já são 20 anos de trabalho de educação ambiental que a mineradora realiza na cidade.

A coordenadora do Centro de Desenvolvimento Ambiental (CDA) da CBMM, Laura Teodoro de Oliveira, destaca que tanto alunos da cidade quanto alunos da zona rural participam do projeto. Segundo ela, cerca de 2 mil estudantes estão envolvidos no trabalho, além de 27 escolas e 100 professores.

Alunos e professores concluíram e apresentaram os trabalhos que são desenvolvidos durante todo ano letivo. De acordo com Laura, os participantes conheceram as atividades do projeto Conservação das Florestas, Bioma Cerrado, da CBMM, além dos projetos Sanitarista Mirim e Sanitarista Agropecuário Juvenil, do IMA.

Laura destaca que os temas desenvolvidos neste ano também são trabalhados pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), porém, modelado para a região de Araxá, que é o Bioma Cerrado.

“Trabalhamos com inúmeras atividades, visitas monitoradas ao CDA, oficinas foram realizadas nas escolas. Tivemos a parceria com a Polícia Militar Ambiental, que realizou a oficina sobre desmatamentos, queimadas, tráfico de animais silvestres, e também com a Reserva Ecocerrado Brasil, que ministrou palestras sobre plantas medicinais e polinização.”

A coordenadora comemora os 20 anos que a CBMM trabalha em Araxá com temas para a educação ambiental. Ela destaca que a empresa lançou a ideia e as escolas aderiram ao projeto. E ideias não param por aí. “A companhia está trabalhando para montar uma rede de educação ambiental. Temos muito o que aprender, juntamente com os parceiros e as próprias escolas, mas estamos evoluindo a cada ano”, destaca.

Notícias relacionadas