Aprovação de continuidade do Projeto Patrocínio da Vale Fertilizantes contempla unidade de Araxá

Aprovação de continuidade do Projeto Patrocínio da Vale Fertilizantes contempla unidade de Araxá
Foto: Google

O Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) aprovou hoje (27) a Licença de Instalação Corretiva para o Projeto Patrocínio, da Vale Fertilizantes.

Com o cumprimento de mais uma etapa fundamental para implementação desta iniciativa, será dada continuidade aos compromissos socioambientais estabelecidos, bem como às atividades de mobilização para obras.

O projeto prevê a extração de minério de fosfato na cidade de Patrocínio com expedição via férrea para o Complexo Mineroquímico de Araxá, onde o minério será tratado. A integração e otimização destes dois ativos, a jazida mineral de Patrocínio e a usina existente em Araxá, permitirá à empresa manter o atendimento ao mercado com um produto de alta qualidade e com custo competitivo.

O deputado estadual Bosco, que acompanhou ativamente o andamento do projeto do Projeto Patrocínio, e esteve reunido com a diretoria da Vale no dia 20 passado, destaca que esse investimento é extremamente importante. “Recebemos com imensa satisfação a notícia da aprovação do projeto pelo Copam, pois este investimento promoverá um novo marco na produção de fertilizantes e no desenvolvimento econômico da nossa região”, diz.

“Ademais, o Projeto Patrocínio garante a sobrevida da unidade da Vale Fertilizantes em Araxá, que está perto do limite de produção, assegurando, portanto, os postos de trabalho da empresa em nossa cidade”, reitera.

A mina de rocha fosfática de Araxá, que abastece a fábrica local da Vale Fertilizantes, produz atualmente 1 milhão de toneladas de minério ao ano. Com o minério de Patrocínio, poderá ampliar a produção de concentrado de minério de fosfato de 800 mil toneladas anuais para 1,3 milhão de toneladas anuais.

Parte dessa produção será transformada em fertilizantes ainda em Araxá. “O Projeto Patrocínio é um investimento regional, que contribuirá para a subsistência da demanda de fertilizantes, já que o país produz apenas 25% do fertilizante que consome”, comenta o deputado Bosco.

A expectativa de produção em Patrocínio é de 6,5 milhões de toneladas de minério de fosfato por ano.

Desenvolvimento local

Deverão ser gerados na etapa de implantação cerca de 200 empregos diretos no pico da obra e na fase de operação cerca de 600 postos de trabalho. O projeto também contribuirá para movimentação da economia local com a criação de empregos indiretos, voltados para suprimento de produtos e serviços disponíveis na região.

Os interessados em trabalhar no projeto devem se cadastrar no Sistema Nacional de Emprego de Patrocínio.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: