Araxá Dance Company Dança Comunidade encanta com série de espetáculos

Araxá Dance Company Dança Comunidade encanta com série de espetáculos

Foram sete dias de apresentações, seis turmas de alunos do projeto Araxá Dance Company Dança Comunidade se apresentando em um lugar antes para eles inalcançável: o Teatro Municipal da cidade.

Enfim, sonhos se realizaram nas apresentações. Os espetáculos reuniram emoção, beleza, encanto e sobretudo passaram à plateia a mensagem mais nobre: “Diga não ao preconceito, diga sim à acessibilidade e ao amor”.

Alunos do Recanto do Idoso Asilo São Vicente de Paula e Associação dos Aposentados e Pensionistas de Araxá se apresentaram com movimentos de dança e expressão corporal, enquanto ao fundo os músicos Pedro Eloi e Paulo Venâncio desenhavam a melodia nos violões.

Os alunos da Casa do Caminho apresentaram no próprio Hospital o espetáculo Frágil Amor e era visível em seus rostos a alegria de estar participando de algo assim.

Os alunos da Fada destacaram a acessibilidade, além da mensagem de superação que emocionou os presentes, através do espetáculo Acesso.

A apresentação “Pequeninos”, do Centro Educacional Vovó Sérgia, envolveu a todos com muita alegria! As crianças ficaram muito à vontade no palco, a plateia por vezes se emocionou e comentava como os alunos estavam felizes.

 Teve espaço também para a bicharada do espetáculo Os Saltimbancos, peça apresentada pelos alunos da Escola de Aplicação Lélia Guimarães, que surpreenderam a todos desenvolvendo bem os diálogos e as músicas relacionadas, com lindos figurinos.

Por fim, os instrutores do Projeto Araxá Dance Company Dança Comunidade apresentaram o “Flaneur”, espetáculo com uma série de músicas que foram recheadas com as mensagens de amor ao próximo, acessibilidade através dos instrutores cadeirantes e ainda amor pelo que fazem.

Era visível no rosto dos instrutores a emoção do término da primeira edição do Projeto Araxá Dance Company Dança comunidade, que promoveu o bem estar e alegria para mais de 350 pessoas entre crianças, adolescentes, idosos, deficientes físicos e pacientes psiquiátricos proporcionando oficinas de dança e música, palestras, acompanhamento pedagógico, psicológico, além da formação de bailarinos.

A primeira edição do projeto terminou ali, no palco das belíssimas apresentações. Agora fica a saudade dos alunos e instrutores e um gostinho de quero mais, para aguardarmos a segunda edição de uma iniciativa tão importante para a nossa cidade.

Notícias relacionadas