Araxá está próxima de ter meta atingida na campanha contra a rubéola

Mesmo sendo amanhã (12) o fim da Campanha Nacional da Vacinação Contra a Rubéola, a Secretaria Municipal de Saúde vai realizar, nas próximas duas semanas, um trabalho de monitoramento para levantar o número de pessoas que ainda não foram vacinadas.

De acordo com dados da secretaria, até a última sexta-feira (5) 86% da meta de vacinação já foi cumprida no município, ou seja, 34.561 pessoas. A coordenadora de Enfermagem, Telma Di Mambro, está confiante que a meta seja alcançada, com 40.165 pessoas vacinadas, principalmente os homens de 20 a 39 anos, que são maioria no número de casos registrados. “Dentro desses números, 70% dos homens já foram vacinados”, afirma.

Telma destaca que a campanha na cidade está sendo realizada através de parcerias entre a secretaria e os cursos de Enfermagem do Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá) e técnico de Enfermagem do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). “É um trabalho importante e que nos ajudou a atingir esse número já excelente, bem acima da média da meta do Estado que está em 74%”, afirma a coordenadora.

A vacina pode ser encontrada no Centro de Vacinação (7h às 20h), postos de saúde (7h às 17h), Unis (7h às 17h), além de diversos estabelecimentos comercias. Em Minas, pessoas entre 12 e 39 anos devem tomar a vacina.

A rubéola pode causar má-formação do feto, cegueira, surdez, retardo mental ou problemas cardíacos no bebê. A vacina é, inclusive, contra-indicada para gestantes, pacientes em tratamento quimioterápico, que usam corticóide ou que tenham passado por um transplante de medula óssea há menos de dois anos. A doença é transmitida por via respiratória e causa manchas vermelhas pelo corpo.

Gravidez

Para as mulheres que tomaram a vacina antes de descobrir a gravidez, Telma tranqüiliza que a criança não corre riscos. “Não existe na literatura médica nenhuma caso de criança que nasceu com má-formação ou outro problema em função da vacina”, afirma. Para esses casos, Telma diz que a secretaria faz um acompanhamento de exame para que a segurança do bebê seja garantida.

Telma informa que a campanha será prorrogada até abril do ano que vem para atender as mulheres que estão grávidas atualmente. Elas devem tomar a vacina após o parto.

Notícias relacionadas