Super banner
Super banner

Araxá sobe da sexta para a terceira colocação na lista de grandes exportadores do Estado

Araxá sobe da sexta para a terceira colocação na lista de grandes exportadores do Estado

Araxá teve um crescimento 59% em suas exportações em 2008, impulsionada pela produção de ferronióbio e alcançou a terceira colocação da lista dos dez maiores exportadores de Minas Gerais, segundo análise da Central Exportaminas. O estudo aponta também que a capital mineira e Juiz de Fora, na Zona da Mata, voltam a fazer parte da lista das maiores cidades exportadoras de Minas Gerais em 2008.

Araxá, que evoluiu da sexta para a terceira posição graças às suas exportações de ferronióbio, exportou US$ 1,6 bilhão em 2008, com crescimento de 59% em apenas um ano. No segundo lugar, encontra-se Ouro Preto, com US$ 2,9 bilhões exportados (12,8% do total) e crescimento de 131% nas suas exportações dominadas pelo minério de ferro. Itabira continua no topo do ranking, com exportações de US$ 3,4 bilhões (14,7% do total de MG), também em sua grande maioria de minério de ferro e crescimento de 50%.

Os dez municípios foram responsáveis por 64,5% das exportações do Estado, valor equivalente a US$ 15,06 bilhões do total de US$ 24,4 bilhões. Juiz de Fora saiu da 11ª para a sétima posição e Belo Horizonte de 12ª colocada subiu para a 10ª posição. Os municípios que saíram da lista em 2008 foram Nova Lima e Timóteo, que ocupavam a segunda e décima posições, respectivamente.

Belo Horizonte, que não participou do ranking de 2007, está de volta na décima posição, com um crescimento de 15,3% e um total exportado de US$ 577,34 milhões, graças a grandes aumentos nas suas exportações de ferro fundido bruto e tubos de ferro/aço para gasodutos. Juiz de Fora, por sua vez, subiu da 11a para a sétima posição por conta do crescimento de cerca de 185% das exportações de automóveis, acumulando um aumento geral de 77% nas suas vendas externas.

Por outro lado, os municípios do ranking que não tiveram a cadeia minerometalúrgica como principal de sua pauta foram Varginha, que aumentou as exportações em 18,1% impulsionadas pelo já tradicional café; Betim e Juiz de Fora, que tiveram, respectivamente, crescimentos de 12,9% e 77% nas exportações de automóveis; e Belo Oriente, que registrou um aumento de 15,3% nas suas já tradicionais exportações de celulose.

Araxá impulsiona Alto Paranaíba

A liderança regional continua com a região Central, cuja participação aumentou para 55,6% do total, o correspondente a US$ 13 bilhões. O destaque, no entanto, foi a terceira posição, ocupada em 2008 pela região Alto Paranaíba, que exportou US$ 1,8 bilhão, correspondente a 7,6%, registrando um aumento de 52,5% em suas exportações. O valor foi considerado significativo pelo diretor da Central Exportaminas, lembrando que foi impulsionado, principalmente, pelas exportações de ferronióbio provenientes de Araxá.

Segundo a Central Exportaminas, em 2008 houve um crescimento de 6,4% no número de municípios exportadores no Estado, que passou de 250 para 266. Os destaques foram Carneirinho e Frutal, na região Triângulo, com o início de suas exportações de álcool e açúcar, e Prudente de Morais, na região Central, com suas exportações de ferro fundido bruto.

O maior número de municípios estreantes, no entanto, foi na região Sul de Minas (seis), que se tornou, também, a região do Estado com maior número de municípios exportadores superando, inclusive, a região Central. Mesmo assim, a região Sul de Minas viu a sua participação reduzida para 12,8% do total exportado (US$ 3 bilhões), mas manteve a 2ª colocação entre as regiões exportadoras.

Mas, em termos percentuais, a maior variação regional foi observada nas exportações da região Centro-Oeste de Minas, com crescimento de 60,9% em apenas um ano, somando US$ 836,7 milhões. As exportações desta região foram alavancadas pelas vendas de ferro fundido bruto e, em menor medida, de barras de ferro/aço laminadas a quente.

O aspecto negativo ficou com a região do Vale do Rio Doce, que no ano passado apresentou uma redução de 8,9% em relação a 2007, somando US$ 1,5 bilhão exportado. Esta redução, em função das quedas nas vendas externas de produtos laminados de ferro ou aço dos municípios de Ipatinga e Timóteo, acarretou o seu rebaixamento para a quarta colocação no ranking das exportações regionais.

Notícias relacionadas