Araxaense lança livro “Sertão da Farinha Podre”

Araxaense lança livro “Sertão da Farinha Podre”

Ernesto Rosa - Foto: Divulgação/Editoria de Arte Diário de Araxá

O escritor araxaense, radicado em São Paulo, Ernesto Rosa, fez o lançamento do seu livro “O Sertão da Farinha Podre” nesta quinta-feira (19), às 19h30, na Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB).

O livro conta a história da mesorregião do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba que possuiu muitos nomes, mas é mais conhecida atualmente como Sertão da Farinha Podre. Ela possui uma história densa e interessante. Em um primeiro momento, a região era povoada pelos caiapós. Em um segundo momento, todo o Sertão da Farinha Podre ficou sendo um único Julgado, com cabeça em Desemboque.

Em seguida, o grande Julgado foi desmembrado em dois: o de Desemboque e o de Araxá. Em um quarto momento, Os dois julgados foram unificados em um único município com sede em Araxá. A partir daí, foram se desmembrando os vários municípios. No interior dessa diversidade de municípios, notamos uma identidade de todos nós farinhapodrenses.

Na medida do combate aos índios e quilombolas, a região foi se povoando. De Desemboque se expandiu para Araxá e em seguida para Patrocínio, como centros de abastecimento de Desemboque. Mas o ouro se exauriu rapidamente, provocando êxodo para a região de Uberaba. Nesse momento, Araxá e Patrocínio já estavam comerciando com outras cidades como São João del-Rei.

Como consequência do povoamento, os povoados foram surgindo, um após outro. A História do Sertão da Farinha Podre é a história do seu povoamento com a construção dessa malha de estradas e povoados, como resultado da ação humana que, nesse caso, começou como garimpo, mas se estendeu para a agropecuária, principalmente após a chegada da ferrovia, que possibilitava adquirir sal para o gado por preços bem menores. Por fim, chegou também à industrial.

Notícias relacionadas