Bem Brasil agenda visita dos vereadores à empresa

Bem Brasil agenda visita dos vereadores à empresa

Na próxima terça-feira (8), a partir das 8h, a Bem Brasil recebe a Câmara Municipal em suas instalações. Um grupo de vereadores será recebido na empresa, onde haverá uma visita monitorada à sede da indústria. O objetivo é apresentar as novas estruturas para tratamento de efluentes, que estão em fase final de implementação. A ação que visa dar mais transparência ao relacionamento da Bem Brasil com a comunidade de Araxá, segundo a diretoria da empresa.

Tudo começou no início do verão, final do ano passado. As altas temperaturas associadas à falta de chuvas causaram muitos desconfortos em várias cidades em todo o país. Em Araxá não foi diferente, mas na Bem Brasil, essa condição foi primordial para colocar em xeque, o sistema de tratamento de efluentes industriais, cuja proposta é tratar a água utilizada no processo de produção. 

A principal consequência disso foi uma pane no sistema de tratamento de efluentes e a emissão de um forte odor que incomodou os moradores do entorno da fábrica, enquanto o problema era solucionado. Na indústria, há uma lagoa onde é cultivada uma espécie de bactéria que se alimenta dos dejetos orgânicos da batata. O processo é favorável ao tratamento de água descartada e também para contenção de odores típicos da deterioração dos resíduos de batata.

Por se tratar de um ecossistema nutrido por elementos vivos, o forte calor causou um desequilíbrio químico e biológico e essas bactérias morreram, sem que houvesse condições de reverter o complexo sistema que as manteriam vivas.

Reformas

Para sanear o problema de maneira mais efetiva, uma segunda lagoa anaeróbia teve de ser construída e está em fase final de implementação, além de um novo procedimento de monitoração do sistema biológico, que também está sendo implementado para transpor o risco de contingência. Além disso, um novo jogo de equipamentos para decantação e centrifugação das águas ampliou a capacidade de vazão. Todos esses procedimentos implementados serão apresentados aos parlamentares de Araxá por ocasião da visita, como forma de dar uma devolutiva à sociedade. 

“A partir da quebra de um paradigma climático, sobre o qual havíamos construído todo o sistema de tratamento de efluentes, optamos por uma solução mais custosa, tanto financeira quanto demorada, mas que trará um resultado definitivo para a empresa e para Araxá”, explica a supervisora de Meio Ambiente, Erika Araújo.  Para Érika, essa visita pontua um posicionamento da empresa, como uma resposta a Araxá. “Os procedimentos adotados foram mais demorados, mas têm um caráter consolidado em relação a situações como essas que podem vir a nos afetar no futuro”, atenta.

Os procedimentos tomados são de âmbito de infraestrutura. Portanto, exigiram investimentos adicionais da empresa, no sentido de dar maior eficiência e segurança ao processo. “Foi mais difícil fazer essa escolha cirúrgica, mas temos certeza de que agora podemos dar uma resposta definitiva à comunidade no entorno da indústria, que compartilhou as consequências do que a gente considera um acidente imponderável”, conclui a supervisora.

Segundo a empresa, o odor não faz mal à saúde. Não se trata de emissão de poluentes, pois o processamento das batatas não emite  partículas residuais expelidas ao vento. Ocorre um processo de evaporação da parte líquida da matéria orgânica que, sem controle do processo de deterioração natural, exala um odor forte e característico.

Notícias relacionadas