Super banner
Super banner

Bosco destaca projeto de desenvolvimento da indústria

Bosco destaca projeto de desenvolvimento da indústria

Bosco (esq.) e personalidades durante o evento da CNI/Fiemg - Divulgação

Da Redação/Via Ascom – O deputado Bosco, presidente da Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa, participou, ao lado do governador Antonio Anastasia, da apresentação do Programa de Apoio à Competitividade da Indústria Mineira. Essa iniciativa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), prevê investimentos da ordem de R$ 260 milhões para a construção de institutos de desenvolvimento tecnológico e de inovação, implantação de centros educacionais e aquisição de unidades móveis para a formação profissional.

Com essa iniciativa, para os próximos dois anos serão instaladas nove unidades de inovação e desenvolvimento tecnológico, sendo seis Institutos Senai de Tecnologia e três Institutos Senai de Inovação, com investimentos de R$ 180 milhões. Segundo o governador Antonio Anastasia, a iniciativa é muito positiva para melhorar a qualidade do nosso trabalhado e, em especial, agregar valor aos produtos mineiros, que tem sido o grande esforço do governo de Minas.

Por seu lado, o deputado Bosco entende que a ação representa um momento histórico para o Brasil, Minas Gerais e Araxá. “A parceria governo de Minas. CNI e Fiemg é um avanço importante na pesquisa e no desenvolvimento de novas tecnologias”, destaca.

Ainda segundo o parlamentar, existe uma expectativa favorável que Araxá se torne um dos polos desse investimento. “Já temos uma unidade em Araxá e considerando a realização de pesquisa nas áreas de tecnologia de produção de aços, notadamente com a utilização do nióbio, que exige tecnologia avançada, acredito nessa possibilidade”, afirma Bosco.

Estiveram ainda presentes no evento o presidente da CNI, Robson Andrade; da Fiemg, Olavo Machado Júnior, vice-governador Alberto Pinto Coelho; diretor de Educação e Tecnologia da CNI, Rafael Luchesi; diretor da CBMM, J.D. Vital; presidente do Cetec, Marcílio César de Andrade; e o diretor do Senai, Lúcio José de Figueiredo.

Notícias relacionadas