CAM e CAC não contam mais com atendimento de servidores municipais

CAM e CAC não contam mais com atendimento de servidores municipais

Os 127 servidores da Secretaria Municipal de Saúde que atendiam nos centros de atendimento à Mulher (CAM) e à Criança (CAC) foram designados para as unidades de saúde da prefeitura – Unileste, Uninorte, Unisul e Unisa. Os dois centros são geridos pela Fundação de Assistência à Mulher Araxaense (Fama).

“A entidade (Fama) não pertence à responsabilidade do prefeito. A prefeitura apenas cedia os seus servidores e apoiava com uma verba para a manutenção dos dois centros”, diz o prefeito Jeová Moreira da Costa.

Ele diz que existe a possibilidade da prefeitura negociar com a Fama, assim como outras entidades, e fazer parcerias. Jeová ressalta que entidade não ainda não procurou a prefeitura para conversar sobre a situação do CAM e CAC, mas que um encontro foi realizado durante a transição de governo.

“Não podemos deixar de cumprir a nossa responsabilidade de dar uma saúde pública decente para a comunidade. Estamos prontos para assumir essas entidades (CAM e CAC) e aproveitar as suas estruturas físicas, fazendo a parte operacional dentro dos moldes de excelência em saúde para a nossa cidade”, acrescenta o prefeito.

Banco de Leite

Uma outra questão é em relação ao Banco de Leite Humano que funciona dentro do CAM. A doação do leite materno, que não está acontecendo no momento, só pode ser feita por autorização de médicos, que estão em férias ou atendendo nas Unis.

Atendimento

Funcionários do CAC dizem que o atendimento permanece normal, mas os médicos estão em férias. Já o atendimento no CAM está praticamente paralisado e os pacientes estão sendo orientados para procurar as Unis.

A superintendência da Fama divulgou uma nota nesta terça-feira (6) sobre a retirada dos servidores municipais do CAM e CAC. Confira os principais trechos.

“A Fama é uma entidade sem fins lucrativos, constituída como fundação, que atende milhares de pessoas por mês, de forma gratuita, especialmente na área de saúde preventiva voltada para crianças e mulheres”.

“A Prefeitura de Araxá, através de leis específicas aprovadas pela Câmara de Vereadores, subsidia a Fama com a cessão de pessoal e também de com verba mensal de dez mil reais empregados no custeio. Demais despesas são cobertas com doações de empresas locais e até de outros Estados”.

“O fato de ceder funcionários é uma forma de o município auxiliar no atendimento às demandas da comunidade, tendo em vista que os atendimentos feitos são computados dentro do volume de recursos financeiros repassados ao município através do SUS (Sistema Único de Saúde)”.

“Neste período de transição, a Fama se colocou à disposição dos novos dirigentes públicos ou de seus designados para prestar informações ou mesmo apresentar os dois projetos e seus resultados”.

“Em função de que a entidade Fama não recebeu até o presente momento nenhuma comunicação oficial por parte do chefe do Executivo local, a superintendência optou por aguardar o decorrer do mês de janeiro na expectativa de que a postura adotada pela prefeitura possa ser revista face ao risco do prejuízo a ser causado a milhares de pessoas, em nome do bom senso e do respeito aos inúmeros parceiros que avalizaram tais iniciativas”.

“Os centros de atendimento da Criança e da Mulher permanecerão abertos e operando de acordo com o pessoal disponível, prestando informações e à disposição para continuar suas atividades.”

Notícias relacionadas