Campanha do Agasalho bate recorde de arrecadação

Campanha do Agasalho bate recorde de arrecadação

A Campanha do Agasalho de 2010 promovida pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano bateu o recorde de arrecadações de todas as edições realizadas em Araxá. A Campanha Doe um Agasalho e Aqueça a sua Alma arrecadou mais de 9 toneladas de peças, entre elas, agasalhos, roupas e cobertores novos e usados. Só nas blitze de arrecadações realizadas em diversas regiões, foram recolhidas 5 toneladas. O restante foi arrecadado pelos 70 pontos de coleta das doações que foram espalhados por toda a cidade.

A Campanha do Agasalho foi desenvolvida para mobilizar toda a comunidade para que as pessoas possam doar o que estiver sobrando em casa. O objetivo é criar uma rede de solidariedade que incluiu os poderes Executivo e Legislativo, sociedade civil, empresas, terceiro setor e comunidade, visando formar parcerias para atender os mais necessitados.

A coordenadora da campanha, Nilza Contato Balieiro, diz que toda a comunidade araxaense se mobilizou. “Além de roupas, agasalhos e cobertores tivemos outros tipos de doações, como fogão, máquina de lavar, geladeira, cama, alimentos, o que a pessoa podia doar a gente arrecadava porque temos demanda para tudo. A Secretaria de Desenvolvimento Humano é o coração de Araxá porque todas as carências batem em nossa porta, tudo é destinado para quem realmente precisa”, destaca.

De acordo com ela, cerca de 40 entidades vão receber as peças arrecadadas durante a campanha. “Nós separamos a roupa de acordo com a entidade. Um asilo, por exemplo, vai receber peças para pessoas idosas, uma casa que cuida de jovens recebe roupas para jovens, a nossa preocupação é que tudo seja reaproveitado.”

Segundo Nilza, a demanda de pessoas que necessitam de ajuda em Araxá é muito grande. “Para se ter uma ideia, temos mais de 5 mil pessoas cadastradas na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano à espera de agasalhos e cobertores. Às vezes, a gente acha que Araxá não tem demanda para tanta roupa, mas isso é um engano”. Afirma.

“Tem gente que mora debaixo de lona, não tem o mínimo necessário para sobreviver, agora se não tem uma alimentação adequada, imagina vestuário. Sempre vai existir pessoas que precisam de algo”, acrescenta.

A campanha se encerrou oficialmente nesta sexta-feira (28), com a realização da Sexta Beneficente, no pátio da Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB). “Mas doações podem ser feitas em qualquer período do ano na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano”, ressalta Nilza.

Notícias relacionadas