Capal amplia linha de sementes e adubos

Capal amplia linha de sementes e adubos

Da Redação/Via Capal – A Cooperativa Agropecuária de Araxá (Capal) ampliou a sua linha de sementes e adubos para este ano. A cooperativa trabalha com as principais empresas do mercado e oferece prazos especiais de pagamento para cooperados. A variedade e a qualidade dos produtos comercializados permitem ao produtor um grande leque de opções de sementes e adubos específicos, tanto para áreas de baixíssima tecnologia até as de alta rentabilidade.

O objetivo é proporcionar produtos de qualidade, variedade e custo reduzido para os produtores. A escolha da semente e adubo é o primeiro passo para garantir o êxito de qualquer lavoura.

De acordo com a política de comercialização e crédito da cooperativa, o cooperado fornecedor de leite da Itambé/Capal poderá dividir sua compra com pagamento em até seis vezes.

O cooperado não fornecedor terá condição de safra, com troca dos produtos (sementes e adubos) por insumos, pagando, por exemplo, em milho ou café no período de colheita, em 30 de maio de 2013.

O cooperado que não se interessar pelo sistema de troca, poderá dividir sua compra em até três vezes. O produtor rural que não é cooperado, também poderá efetuar sua compra, mas não terá condições de comercialização semelhantes aos dos cooperados, como divisão de pagamento ou de safra.

O gerente de Defensivos e Café, Marcelo Marques Ribeiro, explica que a Capal trabalha com cinco das principais empresas do setor.

“Essa variedade de produtos é algo difícil de acontecer quando pensamos em uma empresa particular. Já a cooperativa tem essa facilidade de trabalhar com multinacionais que disputam o mesmo espaço no mercado. Hoje, a cooperativa é representante exclusiva na região das sementes Pioneer, tem sementes da Syngenta, Riber, Biomatrix. Temos materiais para atendimento ao produtor de uma área de baixíssima tecnologia, que não é trabalhada há muito tempo ou uma área nova que está sendo aberta, até para alta tecnologia, onde o produtor já vem plantando, cuida há algum tempo e faz os tratos culturais no período correto.”

Marcelo lembra que existe um produto específico para cada caso, cada condição de área.

“É melhor o produtor utilizar um material de baixa tecnologia, onde ele vai empregar menos recursos, do que uma semente muito cara e não ter resultado, já que as condições na área interferem diretamente na produtividade do material. Temos sementes com capacidade produtiva de silagem acima de 70 toneladas e de grãos, acima de 200 sacos por hectare. Atualmente, os materiais têm, de um modo geral, uma genética muito boa. Ele tem o potencial produtivo interessante, mas o produtor deve seguir as orientações e recomendações dos agrônomos para que ele consiga explorar o máximo potencial genético do material”, ressalta.

Segundo ele, a grande maioria dos adubos e sementes já está disponível ao produtor na cooperativa.

“Os adubos que são utilizados no início de plantio já chegaram à cooperativa. As sementes também já estão acessíveis ao produtor. Aquele cooperado que está só aguardando o período das chuvas pode procurar a Capal que estamos com os materiais à disposição e com prazos especiais de pagamento”, acrescenta Marcelo.

Notícias relacionadas