Cefet promove workshop sobre demandas de mineradoras e metalúrgicas da região

Cefet promove workshop sobre demandas de mineradoras e metalúrgicas da região

O campus Araxá do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) recebeu na tarde de hoje (27) a primeira edição do Workshop Demandas de Serviços Técnicos e Tecnológicos, Pesquisas e Capacitação de Recursos Humanos pelas Empresas de Mineração e Metalurgia. O evento é uma parceria entre a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes), por meio do Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico, e o campus Araxá do Cefet-MG.

O encontro teve com destaque a palestra do gerente Executivo do Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico, Renato Ribeiro Ciminelli, que apresentou as “Linhas de Atuação e de Soluções em CT&I (Ciência, Tecnologia e Inovação)”. Logo após, a coordenadora do curso de Mineração, Lúcia Castanheira de Moraes, apresentou os “Programas e Projetos do campus Araxá do Cefet-MG.

O workshop pretende melhorar e valorizar o trabalho das empresas de mineração da região. Será analisada a cadeia produtiva do entorno para apontar a falhas no fornecimento de serviços e, assim, manter as demandas nas proximidades, facilitando o deslocamento de materiais a criação de empregos. Para isso, será implementada uma incubadora de serviços e equipamentos para a indústria mineral e metalúrgica nacional.

Outra novidade é a montagem do Centro Tecnológico de Araxá que irá abranger as demandas tecnológicas, de pesquisa e RH. Os recursos já foram disponibilizados pelo governo do Estado. O Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico irá firmar parcerias com empresas da área de mineração e metalurgia que atuam no Alto Paranaíba, Triângulo Mineiro e no Noroeste de Minas.

O encerramento do evento contou com depoimentos, demandas e propostas dos representantes de mineradoras e professores, além de debates.

Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico

A criação do Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico é a estratégia para o crescimento ancorado na mineração e metalurgia com padrões de inteligência de classe mundial. De acordo com Ciminelli, o programa tem como âncora uma ampla rede de cooperação internacional científica e empresarial, como por exemplo, entre as instituições mineiras e a Universidade de Queensland, na Austrália, que consagra o modelo a ser seguido mundialmente.

“A estruturação e o funcionamento ambicioso do Consórcio Mínero-Metalúrgico de Formação e Qualificação Profissional associado ao polo consagra a eficiência desta frente empresarial que fortalece o setor por meio da formação massificada de especialistas, técnicos e pessoal operacional”, afirma.

Na fase mais madura do mercado, a especulação dá lugar ao planejamento estratégico de ações para a consolidação do setor. Ciminelli acrescenta ainda que a elaboração de projetos de sustentabilidade em regiões minerárias, metalúrgicas e sua implementação garantirá a perenidade do crescimento.

A rede de inteligência mineral e metalúrgica com o apoio do governo Estadual lança Minas como uma marca mundial de inteligência. Na opinião de Ciminelli, o lançamento do polo é resultado da organização de um ambiente de aplicação do conhecimento que pode reverter, com criatividade e inovação, os impactos da crise econômica mundial que tem penalizado as commodities minerais e metalúrgicas.

“A capacidade empreendedora mineira é potencializada pelas ferramentas do Pólo e as oportunidades para capacitação de profissionais em níveis nunca experimentados, a expansão da cadeia produtiva e a exploração de novos nichos e segmentos”, destaca.

Notícias relacionadas