Cemig dá dicas de economia e segurança na utilização do chuveiro elétrico

Cemig dá dicas de economia e segurança na utilização do chuveiro elétrico

Devido à sua grande potência, o chuveiro é certamente um dos equipamentos elétricos que mais influenciam o consumo de energia elétrica dentro das residências, principalmente no inverno – quando é difícil prescindir do banho quente. Para diminuir o impacto na conta de energia pela utilização desse equipamento, a Cemig recomenda uma série de dicas.

Segundo  o técnico de soluções energéticas, Frederico Stark Rezende, a economia começa na hora de comprar o aparelho, pois “sempre é bom observar se o chuveiro tem o selo do Procel de economia de energia, sendo que os equipamentos mais eficientes são classificados com a letra A”. O consumidor pode observar ainda a potência do chuveiro: quanto maior, mais energia ele vai consumir. “Em média, um chuveiro costuma ter 4.400 watts de potencia e é responsável por, aproximadamente, 25% da fatura de energia”, explica.

Além de prestar atenção na potência do aparelho, as pessoas  devem ficar atentas à forma de uso, já que o consumo da energia é dado pela fórmula “potência vezes o tempo de utilização”. De acordo com Frederico Stark, os consumidores podem economizar energia ao reduzir o tempo de banho e ao desligar o chuveiro na hora de ensaboar. Outra atitude importante é em relação à mudança de posição da chave inverno/verão. ”Em Minas, mesmo sendo inverno, há cidades em que é possível deixar o chuveiro na posição verão, isso gera uma economia de, aproximadamente, 30%”, afirma o técnico.

Hoje em dia, estão disponíveis no mercado chuveiros com mais opções para regulagem da temperatura ou mesmo aparelhos que, quando instalados no chuveiro proporcionam um ajuste da temperatura mais adequado ao clima. “Esse recurso pode ser interessante para economia de energia uma vez que, com ajustes de temperaturas intermediárias, pode-se evitar que o consumidor permaneça com a chave seletora na posição inverno, consumindo mais energia”, afirmou.

Além disso, o consumidor deve avaliar a possibilidade de instalação de um sistema de aquecimento solar, pois o custo benefício pode ser um atrativo.

Segurança

Trocar a resistência do chuveiro quando ocorre à queima é uma tarefa relativamente simples, mas, como qualquer execução de serviços na instalação elétrica, pode provocar choques, se os devidos cuidados não forem tomados. Por isso, o mais prudente é que um profissional realize o serviço. Para fazer a substituição, a Cemig recomenda as medidas de segurança abaixo:

– Para qualquer intervenção nas instalações elétricas da residência, o disjuntor correspondente ao circuito elétrico deve ser desligado.

– Sempre adquira uma resistência nas mesmas características da original queimada: alterar as características do equipamento pode comprometer a qualidade do produto, bem como as instalações elétricas, que já estavam projetadas para a resistência utilizada anteriormente.

– Após substituir a resistência e antes de ligar o disjuntor, abra a torneira e deixe-a aberta alguns segundos, o suficiente para que ela possa encher o chuveiro completamente de água, pois este procedimento evita a queima da resistência instalada.

– Utilize sempre conectores apropriados.

–  Verifique se a potência do chuveiro retirado é compatível com a potência do chuveiro instalado. Caso o novo chuveiro tenha uma potência elétrica mais elevada, a instalação elétrica da residência deverá passar por uma inspeção de um profissional qualificado.

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: