Ciências Biológicas do Uniaraxá visita Instituto Butantan e Aquário de SP

Ciências Biológicas do Uniaraxá visita Instituto Butantan e Aquário de SP

Alunos do curso de Ciências Biológicas do Centro Universitário do Planalto de Araxá (Uniaraxá), acompanhados pelos professores Carlos Henrique e Antônio Geraldo (Gerê), visitaram o Instituto Butantan no dia 13 de novembro, oportunidade em que puderam conferir um pouco da história da instituição que foi fundada por Vital Brazil, mineiro de Campanha, há mais de 100 anos.

À tarde, a visita monitorada foi ao Aquário de São Paulo, considerado o maior oceanário da América Latina, com 5 mil metros quadrados, com mais de 3 mil exemplares de cerca de 200 espécies diferentes, incluindo, além de animais marinhos, espécies da Amazônia e Pantanal.

O Instituto Butantan é atualmente um dos maiores centros de pesquisa e disseminação da Biotecnologia no Brasil, através da conhecida produção dos soros antiofídicos, antiescorpiônicos e antiaracnídicos, além de mais de uma dúzia de antitoxinas, como, por exemplo, os soros antitetânico ou antirrábico, e vacinas, correspondentes a mais de 80% da produção nacional, incluindo a vacina contra a gripe A.

Na visita, os alunos do curso de Ciências Biológicas demonstraram grande interesse pelo serpentário e pela biblioteca, localizada no prédio principal construído em 1914 para abrigar vários laboratórios do já naquela época prestigiado Instituto Butantan. Três museus fizeram parte do roteiro: o Histórico, o de Microbiologia e Biotecnologia e o Biológico.

Em todos, os futuros biólogos receberam informações sobre a importância histórica do Butantan, que tem como característica a busca constante pela informação e disseminação do conhecimento.

Ao final, houve uma palestra apresentada de forma bastante didática pela bióloga Nayara Moura, que abordou assuntos relacionados às serpentes e suas características, enfocando as formas peçonhentas e os diversos mitos a seu respeito, como, por exemplo, a utilização do torniquete e o hábito de sugar o local picado pelo réptil, o que pode acarretar infecção e problemas à pessoa afetada.

O grupo pôde conhecer de perto um espécime jovem de jiboia e saber que esta não é uma cobra peçonhenta, mas importante para o homem, pois é predadora de roedores, aves e vários animais, contribuindo para o equilíbrio ecológico nos ambientes onde vive.

Uma viagem ao fundo do mar

Na visita monitorada ao Aquário de São Paulo, os universitários foram recepcionados e muito bem atendidos pela estudante de Biologia, Bianca, que os acompanhou por todas as instalações e esclareceu sobre as espécies expostas, fato que despertou interesse pela realização de estágios e estudos com animais aquáticos como peixe-boi, jacaré, lontra e muitos outros.

A visita foi uma fascinante e fantástica viagem ao fundo do mar e suas riquezas, neste que é o Ano Internacional da Biodiversidade. A visão dos acadêmicos pôde ser expressa através da declaração da aluna Perla Karina Inácio, do 4º período, ao avistar o nado do tubarão lixa e das arraias. “Foi uma das visões mais emocionantes da minha vida.”

Assim, encerramos a visita e convidamos a todos que estão lendo esta reportagem a participarem conosco das próximas visitas técnicas do curso de Ciências Biológicas do Uniaraxá na eterna aventura pelos mistérios e descobertas no instigante estudo da diversidade da vida!

Prof. Dr. Carlos Henrique de Freitas
Coordenador do curso de Ciências Biológicas do Uniaraxá

Para saber mais, acesse:

http://www.guiabutanta.com/butantan/

http://www.guiabutanta.com/butantan/fundador.htm

http://www.aquariodesaopaulo.com.br/index2.html

Notícias relacionadas