Começa a imunização contra Influenza A em todo o Estado

Começa a imunização contra Influenza A em todo o Estado

Os profissionais de saúde e a população indígena do Estado participam da primeira etapa de vacinação contra a Influenza A (H1N1). A vacinação deste primeiro grupo tem o objetivo de não apenas interromper a transmissão profissional-paciente-profissional mas também contribuir para a manutenção da infra-estrutura do serviços de saúde para atender a população. Ao todo, aproximadamente 9,3 milhões de pessoas serão vacinadas em todo o Estado, na campanha que teve início nesta semana.

Os grupos prioritários foram definidos pelo Ministério da Saúde, em parceria com sociedades científicas, Conselho Federal de Medicina (CFM), Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Brasileira de Enfermagem (ABEN), Conselhos de Secretários Estaduais (CONASS) e Municipais (CONASEMS) de Saúde e o Grupo Assessor do Programa Nacional de Imunizações.

Técnicos da Funasa irão vacinar o público indígena. Pelo contato com possíveis suspeitos da doença os profissionais de saúde que atuam na atenção básica também serão vacinados. Dentro deste público estão incluídos os profissionais que atuam no Programa de Saúde da Família, nos locais de pronto atendimento, ambulatórios e leitos de hospitais de emergência e de referência para a doença.

Os profissionais das unidades de terapia intensiva que em 2009 receberam casos suspeitos e confirmados de influenza e os profissionais das unidades que irão receber pacientes este ano também contarão com a vacina. As pessoas que trabalham em laboratórios que realizam os ensaios clínicos para sorologia do diagnóstico da infecção pelos vírus, as equipes de vigilância em saúde que atuam no gerenciamento e na investigação de casos e os profissionais que desenvolvem ações nos distritos Sanitários Especiais Indígenas também serão vacinados.

Grupos prioritários

Entre os trabalhadores que receberão a vacina estão médicos, enfermeiros, recepcionistas, pessoal de limpeza e segurança, motoristas de ambulância, equipes de laboratório e profissionais que atuam na investigação epidemiológica. “O objetivo da campanha não é proteger todos os profissionais de saúde mas sim os trabalhadores que irão estar a frente dos casos da doença caso ocorra uma pandemia”, afirmou a coordenadora de Imunização da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Tânia Brant. Todos os trabalhadores das unidades de pronto atendimento, das Unidades Básicas de Saúde e dos hospitais de referência públicos e privados receberão a vacina. A responsabilidade da distribuição será dos municípios  que receberam orientações do Ministério da Saúde e da SES-MG.

Entre os dias 22 de março e 2 de abril o público serão as grávidas em qualquer período de gestação, crianças de 6 meses a 2 anos que devem receber meia dose da vacina e, depois de 21 dias, tomarão a outra meia dose.  Nesta fase, também serão imunizadas as pessoas com problemas crônicos, exceto idosos, que serão chamados posteriormente.

Adultos de 20 a 29 anos são o público-alvo da terceira fase, que vai de 5 a 23 de abril. A quarta fase, de 24 de abril a 7 de maio, coincide com a campanha anual de vacinação contra a gripe comum. Nesse período, os idosos serão imunizados para a influenza sazonal, como todos os anos. Se tiverem doenças crônicas, receberão também a vacina contra a Influenza A. Esta estratégia foi elaborada de forma que a população dessa faixa etária se dirija aos locais de vacinação apenas uma vez. A quinta e última etapa compreende o grupo formado pela faixa etária de 30 a 39 anos, com a vacinação ocorrendo entre 10 a 21 de maio.

Com Agência Minas

Notícias relacionadas