Começam os trabalhos da Frente Parlamentar do Cooperativismo

Começam os trabalhos da Frente Parlamentar do Cooperativismo

Em uma reunião solene, na noite de segunda feira (8), no Plenário Guilherme Gotelip Neto, na Câmara Municipal de Vereadores de Araxá, foi realizada a inauguração dos trabalhos da Frente Parlamentar de Apoio ao Cooperativismo (Frencoop Araxá), fundada e presidida pelo vereador José Maria Lemos Junior (Juninho da Farmácia). A frente foi instituída através da Resolução 476, de 27 de maio 2014.

Durante a reunião, os vereadores Sargento Amilton Marcos Moreira (Sargento Amilton), Credinéia Maria dos Santos (Néia da Uninorte), Fabiano Santos Cunha, Miguel Junior, Eustáquio Pereira, Alexandre Carneiro de Paula (Alexandre dos Irmãos Paula), César Romero da Silva (Garrado), Romário Gerson Galdino (Romário do Picolé) e Moacir Santos (Pastor Moacir) foram diplomados na Frente pelo presidente Juninho.

Ainda fazem parte da comissão, mas por motivos pessoais não puderam estar na reunião, os vereadores Carlos Alberto Ferreira (Professor Cachoeira), Farley Pereira de Aquino (Farley Cabeleireiro), Marcílio de Faria (Marcílio da Prefeitura) e José Gaspar Ferreira de Castro (Pezão).

A Frencoop é apartidária e tem a intenção de dar uma abertura maior ao cooperativismo em Araxá. Hoje, essas entidades, segundo o presidente José Maria Lemos Junior, têm cerca de 10 mil associados, somando aos familiares, chega a 30 mil pessoas. “São 14 vereadores que abraçaram a causa. Nós faremos uma diretoria e começaremos a analisar projetos do Executivo e Legislativo araxaense, que venham fomentar o cooperativismo. Já criamos um projeto anterior a Frencoop, que é a lei de incentivo e fomento ao cooperativismo, já aprovada e sancionada e agora outras leis virão com a ajuda dos demais vereadores”, ressalta.

Para o presidente da Cooperativa Agropecuária de Araxá Ltda (Capal), Alberto Adhemar do Valle Junior, esse é um momento importante para a cidade e região. “Eu disse pro Juninho: vamos criar a frente parlamentar, que é uma orientação do sistema de cooperativas brasileiras e da Ocemg, aonde, a gente precisa ter também no município o apoio político para votar os projetos que são interessantes pro nosso setor e que faça crescer o cooperativismo na nossa cidade”, disse.

Na solenidade, os principais nomes do cooperativismo brasileiro marcaram presença, além de diversas outras autoridades políticas da cidade e do estado. Márcio Lopes de Freitas, presidente da Organização das Cooperativas (OCB), afirma que criar a frente em Araxá é uma ação necessária para fortalecer a relação do cooperativismo com os atores da política.

“Acho que tem tudo a ver as cooperativas proporem uma aproximação mais íntima entre os representantes do povo na política e organizar essas pessoas para que tenham posições mais alinhadas e que possam trabalhar mais em sinergia, ajudando, aplainando os caminhos para os projetos de desenvolvimento local com mais facilidade. Projetos que possam desenvolver as cooperativas locais, qualidade de vida das pessoas. É uma maneira de isso acontecer. Em contrapartida as cooperativas podem usar sua força social, sua base de gente e influenciar num processo político-eleitoral”, explica.

Ronaldo Scucato, presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais (Ocemg) esteve no evento. A Ocemg é um órgão que representa todas as cooperativas do estado e tem atualmente 774 cooperativas e cerca de 300 mil cooperados.

“As frentes parlamentares de cooperativismo, seja em nível federal, estadual ou municipal, elas são muito representativas, porque elas integram a sociedade local ao cooperativismo, dão mais visibilidade ao cooperativismo e também sustentabilidade ao sistema, porque é claro, nós temos que conviver e bem com as instituições e a câmara municipal, os vereadores, o prefeito, são muito importantes para o cooperativismo”, reforça.

Notícias relacionadas