Contrato de trabalho de Alessandro Cardoso na Santa Casa levanta suspeitas

Contrato de trabalho de Alessandro Cardoso na Santa Casa levanta suspeitas

Não foram apenas os documentos que apontam indícios de desvio do lucro do show da dupla Gino e Geno, realizado em março deste ano em prol da Santa Casa de Misericórdia, que chamaram a atenção da Polícia Civil. O contrato de trabalho firmado entre o hospital e o então coordenador de comunicação Alessandro Cardoso, que realizou o show, também despertou a atenção dos investigadores. Uma das cláusulas do contrato determina que a Santa Casa não fiscalizaria o trabalho do coordenador de comunicação.

Alessandro foi preso temporariamente na segunda-feira, dia 7, porque a Polícia Civil o considera suspeito de desviar o lucro do show beneficente realizado em prol da Santa Casa. O contrato de trabalho do ex-coordenador de comunicação foi à polícia pela direção do hospital. O documento é datado de 21 de julho de 2014, sendo que é um contrato a título de experiência que foi prorrogado posteriormente.

Consta no contrato que o coordenador de comunicação estava desobrigado a bater ponto, pois o seu trabalho seria externo. Porém, o documento também o desobrigava a apresentar relatórios que comprovassem os itinerários de visitas realizadas. O contrato ainda determinava que a Santa Casa não fiscalizaria a jornada de trabalho de Alessandro e que o funcionário não estava obrigado a comparecer ao hospital.

O salário do ex-coordenador de comunicação do hospital era de R$ 2,5 mil, sendo que o contrato de trabalho foi rescindido em abril de 2015. O show de Gino e Geno foi realizado no mês anterior. Alessandro recebeu R$ 7,2 mil pela rescisão do contrato. As estranhas cláusulas do contrato firmado entre a Santa Casa e o suspeito de desviar o dinheiro arrecadado com o show beneficente levantaram suspeitas.

Alessandro foi contratado para ser o coordenador de comunicação da Santa Casa pelo ex-diretor Adair Silva, que foi preso neste ano por participar de um esquema que desviou R$ 262 mil do hospital. A Polícia Civil quer saber agora quem o indicou para o cargo. Os investigadores suspeitam que a pessoa que indicou Alessandro ao hospital também possa estar envolvida no desvio do lucro do show de Gino e Geno.

Blog do Germano Afonso

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: