Convention de Campos do Jordão enaltece parcerias e não depende do poder público

Convention de Campos do Jordão enaltece parcerias e não depende do poder público

Diferente do Araxá Convention & Visitors Bureau (AC&VB), o Campos do Jordão e Região Convention & Visitors Bureau (CJRC&VB) não conta com apoio do poder público. Neste ano foi aprovado um projeto de lei 106/2009, que autorizou um repasse de R$ 34.080 ao AC&VC, mas em Campos do Jordão a entidade é autossustentável através de mantenedores e taxa de turismo.

A gerente Administrativa do CJRC&VB, Roselaine Dantas, explica que a entidade foi fundada há cinco anos, mas há dois houve uma mudança de gestão que vem desenvolvendo-a ainda mais. “Toda a sua forma de atuação foi reformulada, conta com duas funcionárias, que sou eu e uma assistente, e nós dividimos as ações com foco para convenções, eventos e negócios, visitors para visitantes a lazer e abrimos mais um leque que é o Circuito da Mantiqueira”, diz.

Para Roselaine, é interessante um Convention não depender do poder público. “Nossa gestão atua sobre o conceito que turismo é negócio, negócio é bussiness, e bussines é coisa de empresário. Então, você tem que ser tocado por empresários. O Convention de Campos nunca dependeu do poder público e é totalmente autônomo.”

A sede do CJRC&VB é uma estação da antiga estrada de trem do governo do Estado de São Paulo e cedida através de concessão de uso do espaço.

“Nós reformamos a sede, mas pagamos água, luz, telefone e somos totalmente independentes. Nossos recursos são advindos do recolhimento da taxa de turismo e do pagamento de mensalidades (mantenedores). Também temos recursos para projetos, mas esses recursos são direcionados especificamente para as ações pactuadas no projeto”, diz.

A taxa de turismo é de R$ 1,90 ao dia cobrada por apartamento. “É uma taxa, como no mundo todo, opcional e a gente sempre trabalha a sensibilização para fazer com que cada vez mais o turista pague essa taxa e o hoteleiro repasse para que a gente tenha mais recurso e façamos mais ações”, afirma.

Já os mantenedores prestadores de serviços pagam R$ 50 mensais, empresários do comércio e restaurantes pagam R$ 100 mensais. Segundo Roselaine, se a taxa de turismo fosse recolhida de forma correta, o Convention teria uma receita de R$ 30 mil por mês, fora os mantenedores. Para ela, as parcerias são o segredo do sucesso de um Convention.

O empresário Eduardo Boaventura Tannus disse durante o debate que se Araxá implantar a taxa de turismo por hospedagem a estimativa é que se geraria uma receita de aproximadamente R$ 54 mil.

Como o Convention reverte em benefícios

De acordo com a gerente Administrativa, os hotéis são os mais beneficiados. “Os hotéis são indicados quando nós captamos eventos e normalmente as reservas são feitas neles. Já nos restaurantes, nós trabalhamos com a campanha Restaurante Amigo do Congressista. Eles elaboram cardápios especiais com preços diferenciados para os congressistas e obviamente eles têm mais demanda durante os eventos. O mesmo nós fazemos com o comércio, eles oferecem benefícios para que os congressistas possam ir às lojas”, destaca.

Trabalho no CJRC&VB

O trabalho de Roselaine como gerente Administrativa é reconhecido nacionalmente por reimplantar o escritório do CJRC&VB e empreender atividades como levantar estatísticas de todas as empresas e segmentos turísticos da estância e região, infraestrutura hoteleira, gastronômica e convenções; planejamento estratégico de atuação e de inserção do destino no mercado nacional; captação e desenvolvimento de novos clientes; desenvolvimento de projetos junto ao Ministério do Turismo, Embratur e Federação Brasileira de Convention & Visitors Bureaux; gestão financeira e assessoria de relacionamento junto a organizadores de eventos e empresários do setor turístico.

Movimento

Segundo Roselaine, Campos do Jordão recebe entre 1,6 milhão a 1,8 milhão de pessoas e movimenta cerca de R$ 12 milhões por ano.

Assista ao vídeo do Circuito da Mantiqueira 

Série Especial Campos do Jordão

Na reportagem de amanhã (27), você confere a importância de projetos para a captação de recursos.

Notícias relacionadas