CP pode esclarecer os fatos, diz João Bosco Borges

CP pode esclarecer os fatos, diz João Bosco Borges

Jeová, André e João Bosco

Da Redação – A Comissão Processante (CP) que investiga uma denúncia contra o prefeito Jeová Moreira da Costa ouviu o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, João Bosco Borges, na manhã desta sexta-feira (4). O secretário explicou aos vereadores o trabalho que realiza nas obras executadas pela prefeitura, além de trazer esclarecimentos sobre o processo de contratação da empresa Arquetipo para as obras do Teatro Municipal e Centro Administrativo.

João Bosco Borges afirma que tem funções diferentes nas obras do Centro Administrativo,da revitalização da avenida Antônio Carlos e da Santa Casa de Misericórdia. Ele explica que a função do secretário é gerenciar os trabalhos que estão sendo feitos pelo poder público. “Mas às vezes a gente disponibiliza um tempo maior para determinada obra, até para ajudar técnico da prefeitura.”

O secretário também destaca a contratação da empresa Arquetipo para a realização das obras do Centro Administrativo. Segundo ele, o contrato aconteceu normalmente, processo idêntico ao realizado com outras empresas. Sobre a contratação da Arquetipo para as obras do Teatro Municipal, João Bosco destaca que o contato foi feito diretamente pela Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM). “A empresa privada não está sujeita à legislação da empresa pública”, diz. Ele acrescenta que a CBMM doou a obra para a prefeitura em vez de doar diretamente o recurso de R$ 2,6 milhões.

De acordo com João Bosco, outro serviço semelhante que a CBMM oferece para a comunidade é a melhoria na avenida Nívea Maria Neumann. “Nessa obra a CBMM também ficou responsável pela contratação do serviço”, diz. Segundo ele, essa é uma prática que existe há anos e outras empresas já doaram obras para a prefeitura.

Questionado sobre a investigação que está sendo feita pela CP, João Bosco afirma que a Câmara Municipal deve esclarecer todas as dúvidas que tem do trabalho que é realizado pelo Executivo. Ele garante que a CP pode esclarecer os fatos que estão sendo colocados em discussão.

Notícias relacionadas