Debate sobre comando da Câmara esquenta, e Juninho é o primeiro a lançar candidatura

Debate sobre comando da Câmara esquenta, e Juninho é o primeiro a lançar candidatura

O futuro de quem estará na presidência da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Araxá para o biênio 2011/2012 esquenta os bastidores do Legislativo, antes mesmo dos projetos de modificação da Lei Orgânica e de estabelecimento do regimento interno da Casa entrar em tramitação. O vereador José Maria Lemos Júnior (DEM), o Juninho, tomou à frente e anunciou oficialmente a sua candidatura ao cargo durante pronunciamento na tribuna, na reunião ordinária desta terça-feira (22).

As principais alterações do novo regimento abrangem a reeleição ao presidente, sistema mais ágil de votação, nova data para posse dos vereadores e o fim do recesso de julho.

Além disso, o número de cadeiras permanece o mesmo – 15 -, mesmo ciente de que haverá muita discussão para essa questão, com debate entre vereadores, deputados federais, Senado e o Supremo Tribunal Federal (STF).

No calor das discussões, prevaleceu a notável administração de Carlos Roberto Rosa (PP), até mesmo sendo reverenciado pelo adversário Juninho ao cargo. Além de uma Câmara mais integrada à comunidade através dos Fóruns Comunitários e articulador junto ao Executivo, ficará marcado como o presidente que executou a construção da nova sede do Legislativo. Mesmo assim, presidente e vice preferiram não falar como oficiais candidatos a presidente.

“A discussão é sempre salutar, estamos trabalhando na busca do consenso para que possamos votar o (novo) regimento. Ele permite a reeleição do presidente, mas não significa que eu seja candidato. É um projeto bastante amplo, que ficou dez meses sendo estuda pela comissão (especial), e até agora os companheiros estão discutindo. Quanto mais a gente conseguir filtrar no que é melhor, se chegar a um consenso, e eu tenho certeza que os vereadores são estudiosos e vão chegar a esse consenso”, diz Roberto.

“Ainda não sou candidato, acho muito cedo até para (anunciar) uma candidatura a presidente da Câmara, estamos apenas discutindo a Lei Orgânica e o regimento interno da Casa, onde estamos fazendo algumas adequações. O regimento era apenas para atualizar, e não para modificar da maneira que estão modificando, pode haver reeleições, mas observei e estudei todas as Câmaras da região e a reeleição é feita por mandato de ano em ano, o presidente tem direito a só uma reeleição. Eu acho um absurdo querer fazer uma modificação na atual gestão. Acho que ela dever ser feita para a próxima gestão, não para esta”, afirma José Domingos Vaz (PDT).

Candidato convicto

No calor da Copa do Mundo e das discussões sobre o futuro comando da Câmara, Juninho, apesar de enaltecer a administração de Roberto, tomou à frente e anunciou oficialmente a sua candidatura à presidência da Câmara durante pronunciamento na tribuna.

“Vimos uma maneira justa do presidente estar representando a Câmara em uma coisa que ele construiu (nova sede e demais projetos). Ele fez uma gestão perfeita, agradou aos servidores, agradou ao Executivo, agradou a população araxaense e vimos aqui, mesmo sendo candidato a presidente, o direito de disputar com uma pessoa de nome forte político igual ao Roberto”, afirma.

“Mas buscamos o direito de ser candidato. O presidente pode até ser um adversário nosso, mas com certeza um adversário à altura que se ganhar a gente tem que bater palma, o importante é ele estar aqui presente e manter a Casa unida, mostrando o bom serviço que tem mostrado”, diz o candidato.

Cedo para falar em candidatura

Apesar do anúncio oficial de Juninho e o pleito pelos bastidores em busca do comando da Casa por Roberto e José Domingos, o vereador Márcio de Paula (PR) disse durante a reunião que ainda é cedo para cogitar a vaga.

“Não deixa de ser uma coisa bastante interessante.O Juninho é um sujeito competente, um grande vereador, a cidade o reconheceu e o colocou como o mais votado, realmente está dentro do que lhe é direito. A gente vê o José Domingos, ele tem esse desejo interno, é da base, é aplicado, e já se vê inclusive  realizando esse sonho, é um direito”, diz.

“Apesar disso, essa questão de presidente acaba dando um start. A Câmara (nova) nem foi inaugurada ainda. Está na hora de se cultuar mais um certo respeito e por tudo aquilo que foi feito (pelo Roberto). Tem uma união muito grande, depois sim se colocam candidatos. Mas é claro que se colocarem agora estão no próprio direito, mas particularmente eu acho cedo.”

O projeto do novo regimento foi devolvido à Mesa, porém, a reunião foi encerrada por Roberto no grande expediente e não teve tramitação de projetos.

Notícias relacionadas