Em abril, bandeira verde não traz acréscimo para as faturas de energia

Em abril, bandeira verde não traz acréscimo para as faturas de energia

Pela primeira vez desde que as bandeiras tarifárias passaram a sinalizar o custo da geração de energia elétrica para os consumidores, a bandeira em vigor no mês de abril será verde, ou seja, sem indicação ou cobrança de custo adicional nas contas de energia, conforme anúncio da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) feito nesta terça-feira (29/3). Segundo a agência, três fatores principais contribuíram para a bandeira verde: a evolução positiva do período úmido de 2016, que recompõe os reservatórios das hidrelétricas, o aumento de energia disponível com redução de demanda e a adição de novas usinas ao sistema elétrico brasileiro.

O aumento do volume de chuvas nos últimos meses proporcionou a recuperação do nível de reservatórios de vários usinas pelo país, principalmente os do Subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que é responsável por cerca de 70% do armazenamento de água para geração de energia no país e está em 58% da capacidade de armazenamento atualmente. Em março do ano passado, o nível estava em 28,5%.

Segundo Maura Galuppo Botelho Martins, superintendente de Regulação Econômico-Financeira da Cemig, apesar da boa notícia, a população não deve descuidar e parar de economizar energia. “A aplicação da bandeira verde representa, sem dúvida, um alívio para o bolso da população e para o sistema elétrico nacional, mas o sistema de bandeiras tarifárias é uma inovação importante implantada pela Aneel desde o ano passado, que sinaliza para os consumidores quais são as condições de geração e, atualmente, elas são favoráveis”, diz a superintendente.

Bandeiras Tarifárias

Em vigor desde 1º de janeiro de 2015, o sistema de bandeiras tarifárias foi criado pelo Governo Federal para sinalizar se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de energia, para os quatro subsistemas do Sistema Interligado Nacional (SIN).

São três os tipos de bandeiras: verde, amarela e vermelha, sendo que cada uma delas representa um valor que será cobrado na fatura de energia, e que podem mudar a cada mês, de acordo com a situação da geração de energia no momento.

Na bandeira verde não há acréscimo na fatura de energia. Na amarela, o valor acrescido será de R$0,015 por kw/h consumido e, na vermelha, que funciona com dois patamares, há o acréscimo de R$0,030 no patamar 1 ou de R$ 0,045 no patamar 2.

Economia de energia

Apesar dos desligamentos das térmicas e a recuperação do nível dos reservatórios no País, a bandeira amarela significa estado de alerta. Dessa forma, os consumidores devem utilizar a energia de forma racional e evitar o desperdício. Confira, abaixo, outras dicas de energia:

Verifique a borracha de vedação da geladeira. Um dos fatores que mais contribuem para o aumento do tempo de funcionamento da geladeira é a borracha de vedação. Faça a vistoria dessa borracha, pois ela não pode ficar quebradiça ou dura. Evite deixar a porta da sua geladeira aberta por muito tempo; ao abrir a geladeira, é o ar quente externo que entra, e, no verão, o ar externo está ainda mais quente, então ela irá funcionar por mais tempo para resfriar o ar que entrou.

Faça o degelo da geladeira. Se a sua geladeira não realiza esse procedimento automaticamente, realize-o sempre que a camada de gelo atingir um centímetro de espessura. Evite colocar alimentos quentes na geladeira. Sem esses procedimentos, o tempo de funcionamento de uma geladeira pode chegar a 720 horas por mês, ou seja, ela funciona ininterruptamente e não para.

Ar-condicionado. Feche bem o ambiente onde o aparelho estiver ligado, pois, do contrário, ele funcionará por mais tempo. Ao abrir uma porta ou uma janela é como se estivesse abrindo a porta da geladeira: o ar quente vai entrar e o aparelho terá de funcionar por mais tempo.

Aproveite a iluminação natural. Como os dias no verão são mais longos, acenda as lâmpadas apenas quando for necessário. A iluminação é o terceiro equipamento com maior participação no consumo residencial, na faixa de 20% do total, em residências que não utilizam aparelho de ar-condicionado.

Retire os aparelhos das tomadas. Quando estão no modo stand by, os equipamentos elétricos e eletrônicos chegam a consumir até 15% do seu consumo quando ligados.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: