Exportação do agronegócio em Minas aumenta 34,36%

Exportação do agronegócio em Minas aumenta 34,36%

As exportações do agronegócio mineiro, de janeiro a abril de 2011, somaram US$ 2,7 bilhões, receita 34,36% superior à apurada no mesmo período do ano passado, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). De acordo com análise da Superintendência de Política e Economia Agrícola (Spea) da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), a cifra equivale a 22,9% das exportações totais do Estado.

O café, produto que ocupa a segunda posição na balança comercial de Minas Gerais, depois do minério de ferro, alcançou no primeiro quadrimestre a receita de US$ 1,7 bilhão. “Houve um aumento de 55,13% na comparação com a cifra registrada no acumulado dos quatro primeiros meses de 2011”, diz a assessora técnica da Spea, Márcia Aparecida de Paiva Silva.

Ela destaca também o desempenho do segmento de carnes, especialmente frango, que alcançou uma receita de US$ 108,1 milhões. “Este resultado é 80,06% superior ao do acumulado dos quatro primeiros meses no ano passado. Outro produto do grupo que obteve resultado positivo foi a carne bovina, receita de US$ 95,4 milhões ou aumento de 10,28%”, explica a assessora.

Já a receita do complexo soja, US$ 151,6 milhões, teve um aumento da ordem de 60%. Neste caso, a assessora ressalta a participação do farelo de soja, que movimentou US$ 50,2 milhões, uma cifra cerca de 170% maior que a do mesmo período de 2010. Márcia Silva observa que houve crescimento expressivo também do óleo de soja e da soja em grão.

Os dados do primeiro quadrimestre de 2011 confirmam a crescente aceitação, no mercado externo, do milho produzido em Minas Gerais. As exportações do grão possibilitaram uma receita de US$ 41,8 milhões, cifra quase dez vezes superior à do mesmo período de 2010. Segundo a assessora, as exportações mineiras e brasileiras estão se beneficiando da retração das vendas internacionais do produto pelos Estados Unidos, porque o país prefere reservar um grande volume de milho para a fabricação de etanol. Além disso, diz a assessora, o consumo mundial está crescendo e a safra dos grandes produtores têm perspectiva de decréscimo em relação à de 2009/2010.

“As oportunidades de vendas para os produtos do complexo couros e peleteria de Minas Gerais no mercado internacional também estão aumentando. A comercialização desses produtos, no primeiro quadrimestre de 2011, gerou uma receita de US$ 43,7 milhões, mais que o dobro da cifra obtida no mesmo período do ano passado”, diz a assessora da Spea.

Preços melhoram

Márcia Silva ainda observa que uma das marcas dos quatro primeiros meses deste ano foi o expressivo aumento da cotação média dos produtos mineiros no mercado externo, principalmente café, soja e carne bovina e de frango. “Prevaleceu a melhoria de preço desses e de outros produtos no mercado externo, pois os volumes comercializados, de uma forma geral, tiveram aumento médio restrito”, enfatiza.

Os principais destinos dos produtos do agronegócio mineiro no acumulado de janeiro a abril foram Alemanha, Estados Unidos, Itália e Japão. Os quatro países compraram o equivalente a 44,4% da receita gerada no exterior pelo agronegócio estadual. Houve incremento nas compras daqueles países em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado.

A análise dos dados de compras e vendas de produtos do agronegócio por Minas Gerais mostra saldo positivo para o Estado. Segundo a assessora da Spea, as importações do setor no primeiro quadrimestre de 2011 somaram US$ 127,6 milhões, valor 20,1% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. De acordo com Márcia Silva, o crescimento das exportações de janeiro a abril contribuiu para que o saldo da balança comercial do agronegócio mineiro crescesse 35,17% na comparação com o mesmo período de 2010.

Com Agência Minas

Notícias relacionadas