Exportações cresceram em nove regiões de Minas em 2008

Exportações cresceram em nove regiões de Minas em 2008

Apesar da crise financeira mundial que afetou o comércio internacional no último trimestre de 2008, praticamente todas as regiões de Minas Gerais tiveram aumentos significativos no valor exportado em relação a 2007. Entre as dez regiões de planejamento do Estado, nove tiveram variações positivas, sendo que em sete delas o número foi de dois dígitos.

O Centro-Oeste de Minas foi a região com maior variação positiva. Com 30 municípios exportadores, o valor das exportações cresceu 60,9% em 2008. Em seguida, aparece o Alto Paranaíba, com aumento de 52,5% no volume exportado. Em terceiro lugar no ranking das regiões com maiores variações positivas está a Zona da Mata, que obteve um crescimento de 46,6% em relação a 2007.

A única região que registrou queda no valor exportado foi a do Vale do Rio Doce, com saldo negativo de 8,9%. De acordo com análise da Central Exportaminas, vinculada à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), a retração se deve ao fato de que siderúrgicas como a Usiminas, em Ipatinga, e Arcelor Mittal Inox – Brasil, em Timóteo, priorizaram as vendas no mercado interno, mais aquecido pela grande demanda de aço proveniente do aumento na produção automotiva e para a construção civil.

 A região Central de Minas Gerais, maior exportadora do Estado, obteve um crescimento de 39,6% em relação a 2007. Com participação de 55,6% nas exportações mineiras, a região exportou em 2008 cerca de US$ 13 bilhões. Em segundo lugar nas exportações, está o Sul de Minas, com cerca de US$ 3 bilhões, que representam 14,3% das vendas mineiras ao exterior.

Para o diretor da Central Exportaminas, Jorge Duarte Oliveira, as variações positivas em nove das 10 regiões do Estado evidenciam as potencialidades exportadoras de Minas Gerais como um todo.

“O governo de Minas, além da diversificação da pauta exportadora, tem como uma das metas para aumentar a base exportadora do Estado, a desconcentração regional, levando desenvolvimento econômico a regiões que ainda não exploram todo o potencial no comércio exterior.”

Com o crescimento no valor exportado em praticamente todas as regiões, Minas Gerais atingiu, em 2008, o volume recorde de US$ 24,44 bilhões, cifra que ultrapassa em mais de US$ 4 bilhões a meta prevista de US$ 20,16 bilhões para o ano.

Em termos percentuais, a exportação mineira cresceu 32,8%, maior índice desde 2003, quando as exportações mineiras iniciaram uma escalada acentuada, passando de US$ 7,5 bilhões em 2003 para o valor atual de US$ 24,4 bilhões.

Municípios estreantes

Em 2008, 33 municípios mineiros estrearam nas exportações, ante 17 que deixaram de exportar, resultando em saldo positivo de 16 municípios. Entre os estreantes, o município de Carneirinho, no Triângulo Mineiro, foi o que mais exportou, totalizando quase US$ 23,5 milhões com a venda de açúcar e álcool.

Com cerca de US$ 21,7 milhões, em segundo lugar, aparece Prudente de Morais, na região Central, que exportou ferro-fundido. Vale destacar, ainda, o município de Frutal, também no Triângulo Mineiro, que exportou US$ 20,5 milhões em açúcar.

No Noroeste de Minas, o destaque fica com o município de Buritis, que exportou quase US$ 8 milhões em soja e milho. O setor de agronegócio ganhou força também com Muzambinho, no Sul de Minas, que estreou nas exportações em 2008 com o valor de US$ 5,6 milhões, com a venda de café.

 
O Sul do Estado foi a região com maior número de municípios estreantes, com a inclusão de nove cidades. Em seguida, vem a região Central, que teve sete municípios estreantes. Empatados em terceiro lugar, estão as regiões do Triângulo Mineiro e Zona da Mata, com quatro municípios cada uma.

Notícias relacionadas