Exportações mineiras crescem pelo terceiro mês consecutivo

Exportações mineiras crescem pelo terceiro mês consecutivo

Pelo terceiro mês consecutivo, as exportações mineiras cresceram e apresentaram, em outubro, o melhor desempenho no ano de 2009. Minas Gerais mantém também a posição de segundo maior Estado exportador, respondendo por 13,3% do total nacional. Com expansão de 0,2% em relação a setembro de 2009, o resultado mensal alcançou US$ 1,874 bilhão, em função da maior exportação de ouro, soja e açúcar.

Os números foram divulgados pela Central Exportaminas, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), que atua em parceria com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

O total das exportações estaduais, de janeiro a outubro de 2009, foi de US$ 15,96 bilhões. Embora tenha apresentado uma queda de 14,3% em relação a idêntico período de 2008, esse valor ainda foi menor do que o percentual de 16,6% registrado pelas vendas externas nacionais.

O saldo comercial de Minas Gerais também foi positivo em outubro, alcançando US$ 1,13 bilhão, o maior do Estado desde novembro de 2008, quando a crise financeira internacional estava em momento crítico. Mesmo com o superávit, o saldo foi 23,4% menor do que o valor de outubro de 2008, mas é o maior dentre os estados brasileiros. No acumulado de 2009, o saldo comercial totalizou US$ 9,93 bilhões, sendo 9,1% inferior ao mesmo período do ano passado, ao contrário do saldo brasileiro que foi 15,2% superior e ficou em US$ 22,60 bilhões.

Já a corrente de comércio de Minas no mês passado foi de US$ 2,61 bilhões, representando 9,7% do comércio exterior brasileiro. Valor foi 0,5% inferior a setembro de 2009 e 29% inferior a outubro de 2008. No acumulado do ano, o comércio exterior mineiro atingiu US$ 21,99 bilhões, ou seja, uma redução de 16,5% em relação a igual período do ano passado.

Também as importações mineiras estão em baixa. Em outubro, o Estado importou menos 2,2%, o equivalente a US$ 740,13 milhões. No acumulado de 2009, o valor alcançou US$ 6,03 bilhões, com redução de 31,4% em relação a 2008.

Para o diretor da Central Exportaminas, Jorge Duarte Oliveira, o desempenho da balança comercial de Minas Gerais demonstra que, apesar de uma reação lenta, apresentando, praticamente, o mesmo desempenho de setembro de 2009, as exportações mineiras sofreram mudanças.

“As maiores quedas foram registradas na cadeia dos minérios, com destaque para o nióbio e, em menor medida, para o minério de ferro. Já os produtos da cadeia siderúrgica, como o ferro-fundido, apresentam um patamar de exportação correspondente à metade do que foi vendido em 2008. Ainda dentro do principal componente da pauta exportadora, a siderurgia, também caíram outros laminados e semimanufaturados de ferro e aço”, informa.

Ele acrescenta ainda que a cadeia automotiva apresentou redução, assim como a celulose.

Jorge Duarte Oliveira destaca, no entanto, que a recuperação das exportações vem se mantendo graças à venda de ouro, soja, açúcar, e do café, que se mantém praticamente estável. Por outro lado, informa que o destaque das importações foi o crescimento de 50%, em relação ao ano passado, da cadeia automotiva. Já o carvão mineral, principal insumo importado, registrou uma queda de 44%, justamente em função da demanda menor da cadeia siderúrgica.

Notícias relacionadas