Falta de organização tira o brilho do Carnaval

Falta de organização tira o brilho do Carnaval

Tumultos e atrasos das escolas durante o desfile, falta de segurança, pouco atendimento médico e baixa qualidade do som foram algumas das reclamações de dirigentes das escolas de samba antes de começar a apuração dos votos que decidiu o Carnaval 2010 de Araxá nesta quarta-feira (17), na Avenida do Samba (João Paulo II).

Os presidentes da Cinderela e do Clube União foram os mais incisivos nas reclamações e cobraram um posicionamento da Associação Carnavalesca de Araxá (ACA) para que os problemas não voltem a acontecer no próximo ano. As duas escolas se sentiram prejudicadas e solicitaram à ACA que não fossem penalizadas, mas o pedido não foi aceito pelo presidente da associação, Hélio da Silva Pereira, que disse estar cumprindo o regulamento.

Mas as reclamações não foram apenas pelos problemas causados às escolas durante o desfile, muita discussão marcou a apuração dos votos e confirmou a falta de organização do evento. O primeiro tumulto foi causado pela substituição de três jurados que não compareceram ao desfile. Os quesitos que eles analisariam foram avaliados por outros três jurados que já haviam votado em outros quesitos. O anúncio da ACA sobre a substituição foi motivo de revolta entre os dirigentes das escolas que decidiram anular as três votações substituídas.

O tumulto teve continuidade quando a associação começou a contagem das penalizações de cada agremiação, por atrasos e baixo número de componentes em determinada ala. Os dirigentes alegaram que não foi registrado em cartório nenhum regulamento, portanto a classificação do Carnaval 2010 de Araxá deveria sair apenas das notas dos jurados e não poderia existir nenhuma penalização.

A advogada do Clube União, Márlia Aparecida da Silva, esteve no local e alegou que a ACA distribuiu três regulamentos, sendo o último nesta quarta-feira (17) antes da apuração. De acordo com ela, o regulamento não poderia ser seguido e diz que vai requerer para que as penalizações sejam anuladas.

“O regulamento não foi publicado, hoje as escolas receberam um novo regulamento. Isso não pode acontecer, o regulamento é inconstitucional”, explica a advogada.

O presidente do Conselho do Clube União e locutor da apuração, Claiton Ayres, também alega que a ACA mudou o regulamento três vezes.

“O regulamento não foi registrado em cartório e também não teve a assinatura dos presidentes das escolas, portanto, não vale nada. Tem coisas muito erradas dentro do regulamento que não foram trocadas, como, por exemplo, o rebaixamento de escolas, sendo que nem temos segundo grupo. Sem regulamento não tem como penalizar as escolas, aliás foi a ACA que atrasou o desfile das agremiações. Vamos entrar com recurso porque não vamos aceitar ser penalizados”, esclarece Claiton.

O presidente da ACA diz que só existe um regulamento, que foi feito com a presença e opinião de todos os dirigentes das escolas. Ele afirma que a associação passou o regulamento a todas as escolas, com registro em ata.

“A dificuldade maior é fazer as coisas com honestidade, com seriedade, isso é muito difícil para algumas pessoas. A ACA está promovendo o Carnaval com responsabilidade, não temos interesse em regulamento. Agora, alguns dirigentes não querem aceitar o que foi acordado, se estiverem insatisfeito procuram a Justiça e questionam o resultado. O regulamento foi entregue em janeiro passado, se existe outros regulamentos eu não tenho conhecimento,” diz Hélio.

Segundo ele, cinco escolas foram penalizadas por descumprirem o regulamento. “A São Pedro é a campeã do Carnaval 2010 de Araxá, mesmo com a penalidade que sofreu. Os dirigentes têm que reconhecer seu erro e parar de tumultuar. O problema é que eles acharam que o regulamento não seria cumprido, que ficaria apenas no papel, mas estamos tentando profissionalizar o nosso Carnaval e tudo o que foi acordado em reunião nós colocamos em pratica”, afirma o presidente da ACA.

Notícias relacionadas