FCCB se manifesta sobre comentários de corte de árvores na praça da Matriz

FCCB se manifesta sobre comentários de corte de árvores na praça da Matriz

O presidente da Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB), Walter Ogawa, encaminhou uma nota de esclarecimento à imprensa que trata sobre comentários surgidos na cidade sobre o possível corte de árvores da praça da Igreja Matriz de São Domingos pelo movimento “Vamos salvar as árvores da praça da Igreja de São Domingos. Leia a nota na íntegra.

Nota de esclarecimento

Em referência ao movimento vamos salvar as árvores da Igreja Matriz, vejo com muita surpresa e ao mesmo tempo contentamento o engajamento e a envolvimento em defesa do patrimônio de nossa cidade. Entretanto, devemos esclarecer alguns pontos sobre o assunto: O projeto de reforma da Igreja Matriz de São Domingos de Gusmão foi apresentado ao Minc em 2008, pela Fundação Cultural Calmon Barreto, este previa execução do projeto inicial e de projetos complementares que são: Elementos artísticos, segurança, acessibilidade, sonorização e paisagismo.

Vale lembrar que o projeto que está sendo executado na “ Matriz”, é de restauração e não reforma.

Vale lembrar também que a Igreja Matriz por várias vezes durante sua existência, foi reformada e descaracterizada.

Uma obra, por mais grandiosa que seja, não resiste ao tempo e demanda cuidados perenes, lembrem-se  que a sua construção começou em 1917 , e só terminou em 1948.

A obra que se iniciou em 2009 é uma obra de RESTAURAÇÃO.

Nunca em sua existência a Igreja Matriz de São Domingos de Gusmão passou por uma obra completa de restauração.

Pequenas intervenções se tornaram necessárias para atualizar este patrimônio histórico sem descaracterizá-lo. Isso aconteceu na especificação da sonorização, na obra de acessibilidade, na segurança e no paisagismo.

Assim as intervenções no paisagismo previstas são as seguintes:

• Readequação dos canteiros;

• Revitalização das Palmeiras Imperial sem previsão de corte com exceção das árvores, que após vistoria técnica, possam trazer insegurança a população.

• Retirada das árvores Pinus do entorno do prédio, pois estes causam problemas para a sua estrutura e pintura.

• Revitalização dos canteiros próximos à igreja.

Haverá uma pequena reestruturação que prevê a troca do pavimento externo atual, permitindo assim, a harmonização da transição arquitetônica entre  a obra da Avenida Antonio Carlos e a preservação do bem tombado pelo patrimônio histórico, unindo assim duas grandes obras realizadas para o desenvolvimento e fomento interno e externo do turismo, comércio e por conseguinte da nossa tradicional, histórica e moderna cidade.

Cabe relatar:

• O referido projeto tem o estudo e anuência do Padre Manuel Claro, do IPDSA, do IPHAN, da empreiteira da obra e também do Ministério da Cultura através da Lei Rouanet, bem como da Prefeitura Municipal de Araxá e Fundação Cultural Calmon Barreto.

• Ainda serão feitas reuniões para finalizar o cronograma de ações antes entre as pessoas e entidades citadas acima antes da execução de qualquer ação no que diz respeito a questões históricas, ecológicas, de segurança e religiosas que por ventura possam existir.

• O gestor da obra da Igreja Matriz de São Domingos de Gusmão é a Fundação Cultural Calmon Barreto, órgão municipal responsável pela gestão e fomento da cultura da cidade de Araxá, da preservação do patrimônio cultural.

A missão da Fundação Cultural Calmo Barreto:

Promover a ação cultural na cidade de Araxá e região em suas diversas formas de manifestação, estimulando idéias e expressões artísticas, e atuando prioritariamente nas áreas de planejamento, promoção, pesquisa e documentação patrimonial histórica, resgate artesanal e inclusão social, valorizando sobre tudo as raízes da cultura mineira.

Esperando ter esclarecido este grande mal entendido, me coloco à disposição para qualquer outro esclarecimento que se faça necessário.

Walter Ogawa Silva – Presidente da Fundação Cultural Calmon Barreto

Notícias relacionadas