Governo vai atuar em retenções para garantir que caminhoneiros que quiserem possam seguir viagem

Governo vai atuar em retenções para garantir que caminhoneiros que quiserem possam seguir viagem

O governador Fernando Pimentel recebeu nesta terça-feira (29) no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, representantes da Associação Comercial das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa Minas), que vem enfrentando problemas com o desabastecimento de alimentos e produtos, em consequência da paralisação dos caminhoneiros.

Fernando Pimentel afirmou que o Governo do Estado vai atuar em cerca de 100 pontos para garantir que os caminhoneiros que queiram deixar a paralisação voltem ao trabalho em segurança.

“Identificamos 180 pontos de mobilização nas rodovias mineiras. Em 100 delas há algum tipo de abordagem para que os motoristas não deixem a paralisação. Vamos entrar nesses locais para garantir que quem quer sair, saia em segurança”, afirmou o governador, que realizou sobrevoo nos principais acessos à capital mineira para verificar as condições das estradas.

Para o coronel Fernando Arantes, coordenador do Gabinete de Crise instalado pelo governo para monitorar a situação do desabastecimento no Estado, a Polícia Militar não identificou pontos de bloqueio nas rodovias. “A estratégia agora é atuar para que o motorista não seja incentivado a parar, que aquele caminhoneiro que quiser fazer seu deslocamento possa fazer com tranquilidade, para a gente dar vazão a esses produtos que estão retidos. Já estamos no nono dia de paralisação e há casos em que os motoristas querem fazer a sua rotina normalmente”, assegurou.

Desabastecimento

Para o diretor-presidente da Associação Comercial da Ceasa, Emílio Brandi, a preocupação com o desabastecimento é grande e somente o fim das paralisações nas estradas poderá garantir a normalização do movimento na Ceasa. “Precisamos liberar as estradas para que a mercadoria consiga chegar ao seu destino. Temos problemas com desabastecimento de hortifrutigranjeiros e já constatamos falta de produtos em alguns estabelecimentos por conta dessa paralisação”, afirmou.

Também compareceram à reunião o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Amarildo Kalil, o presidente da Emater, Glênio Martins, o prefeito de Contagem, Alex de Freitas, o secretário de Desenvolvimento Econômico de Contagem, Sant Clair Schmiett Terres e o deputado estadual Durval Ângelo.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *