Greve: Quarenta e quatro bancários e servidores do Dnit estão de greve em Araxá

Greve: Quarenta e quatro bancários e servidores do Dnit estão de greve em Araxá

Bancários de todo o Brasil iniciaram nesta quarta-feira (7) uma greve por tempo indeterminado. De acordo com o Sindicato dos Bancários de Araxá, as agências estão funcionando precariamente e o Banco Mercantil do Brasil não teve expediente. O presidente do Sindicato, Ruy Barbosa da Silva Júnior diz que 44 bancários aderiram ao movimento grevista na cidade em assembléia realizada na manhã de hoje (9).

Ruy Barbosa afirma que os bancários reivindicam aumento salarial de 12%. “Não gostamos de fazer greve, mas não há outra saída. Os banqueiros não aceitam negociar e querem dar aumento de apenas 0,35%, sendo que a gente sabe dos lucros absurdos que os bancos vêm tendo nos últimos anos. E eles pagam os bancários com essas tarifas safadas, que são as maiores do mundo, e ainda sobra muito dinheiro”, protesta o presidente.

Ruy Barbosa acrescenta que a greve também protesta contra o atendimento demorado aos clientes. “A lei manda que se faça a espera mínima de 15 minutos na fila (em dias normais de atendimentos), mas as pessoas ficam de uma a duas horas. Os bancos não se importam com isso, sendo que a única solução seria contratar mais funcionários.”

O presidente diz que as manifestações vão continuar nas agências bancárias da cidade até que a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) até que as reivindicações sejam atendidas. “Pedimos desculpas aos nossos clientes, mas é uma situação transitória.”

 A opção para o araxaense fugir dos bancos em greve é pagar suas contas em casas lotéricas, nas agências dos Correios e pontos credenciados.

Dnit

Reivindicando acordo salarial, concursos públicos, reestruturação do órgão e gratificação de desempenho, 13 servidores do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (Dnit) de Araxá também estão em greve.

Os funcionários suspenderam os trabalhos de análise de recursos de multas, obras de recuperação de rodovias, pesagem de veículos e autorização de tráfego.

Em Minas Gerais, 250 servidores aderiram à paralisação.

Notícias relacionadas