Grupo Kamel pretende investir R$ 30 milhões na construção do shopping

Grupo Kamel pretende investir R$ 30 milhões na construção do shopping

Os empresários Kamel Hassan El Rahim, Khaled Kamel El Rahim e Tarek Soueid El Rahim estiveram na Câmara Municipal e posteriormente na área de interesse do município a ser permutada com o Fausto Alvim, em um momento de muita discussão com os vereadores, Judiciário, Ministério Público, imprensa e comunidade, na tarde de ontem (16). Segundo Khaled, a intenção é investir cerca de 30 milhões para a construção do shopping e que só a área do Fausto Alvim interessa ao Grupo Kamel.

Cada vereador teve a oportunidade de questionar e expor pontos de vista quanto ao projeto e foram respondidos, um a um, pelos empresários. O Ministério Público também foi parte fundamental na discussão com a presença do promotor de Justiça do Patrimônio Público, Marcus Paulo de Queiroz Macêdo.

Os pontos questionados pelos legisladores foram o valor da área e o interesse público. Para Khaled, a área vale ainda mais e atende às pretensões do município.

“No nosso ponto de vista, a gente acha que a área vale mais, sim, porque a gente pode desenvolver projetos específicos para ela e dentro da nossa responsabilidade, que vão fazer com que ela valha muito mais. Está havendo uma permuta que atende a todos os interesses, a prefeitura na necessidade de área e a nossa, que é a intenção de fazer um shopping center na área do Fausto Alvim”, diz.

Sobre o acompanhamento do Ministério Público, o empresário destaca que se sente mais seguro sabendo que há um órgão no processo.

“Isso é muito importante, é fantástico, e a gente se sente protegido com a presença do Ministério Público nesta questão. Isso vai dar mais transparência, vai dar mais lisura, vai dar 100% de legalidade ao negócio, é muito bom ele (promotor Marcus Paulo) estar participando desde o início, antes da tramitação do projeto, isso nos tranquiliza.”

Investimentos

Khaled disse aos vereadores que contratou o Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística) para as pesquisas que o grupo achar necessárias, já há um estudo que comporta um shopping em Araxá e eles não investiriam tanto dinheiro em uma obra grande risco. O empresário diz que, a princípio, o shopping terá 80 lojas.

“Se a gente fizer 15 mil metros de área construída, o que dá 10 mil de área bruta locável, vamos investir, arredondando, 30 milhões no empreendimento do shopping center. Eu acredito que, inicialmente, não vou colocar um número otimista demais de emprego, mas imediatamente, 300 empregos serão gerados na conclusão do empreendimento”, diz.

O empresário afirma que durante a construção, entre 200 e 300 pessoas devem trabalhar para erguer o shopping e que o número de 300 empregos, com o empreendimento já concluído, pode ser ainda maior, dependendo de um levantamento de demandas em Araxá.

Licitação

O porquê da não licitação é outro ponto de muita discussão no projeto. Entretanto, Khaled afirma que se uma licitação for necessária, o grupo estará pronto para entrar no processo.

“Participaríamos sim, também é um modo de se fazer o negócio, só que muda completamente o projeto, ai tem de se discutir outras exigências, outras promessas futuras de investimento. Uma licitação não necessariamente vai indicar para o ganhador que ele construa um shopping, o que é o contrário desta permuta, onde existe a obrigação.”

“Vamos tirar um estádio de 70 anos de idade que ocupa uma área nobre da cidade, que na época que foi construído era periferia, a gente vai tirar um estádio que enfeia a nossa cidade, não atende nenhuma norma das associações do futebol, a prefeitura vai levar ele para um local apropriado e vamos fazer um shopping center que vai gerar emprego, inclusão social e trazer muitos benefícios”, acrescenta.

Entregar o novo estádio para a demolição do Fausto Alvim

O empresário afirma que está aberto à discussão quanto ao tempo em que se levará para demolir o estádio. De acordo com ele, não há a necessidade imediata.

“Se for gerar transtorno, vamos achar ótimo que seja iniciada a nossa obra depois (entrega do novo estádio), acho justo. Porque demolir o estádio agora? Eu não preciso demolir o estádio agora. Em nossa proposta a ideia é construir só após um ano, e em um ano dá pra se fazer muita coisa para um estádio novo. Estamos abertos, talvez isso aí se estique para 18 meses ou para o término.”

Notícias relacionadas