IMA planeja certificar 800 propriedades de café em 2009

IMA planeja certificar 800 propriedades de café em 2009

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) planeja certificar, este ano, 800 propriedades de café, de acordo com as metas do Projeto Estruturador Certifica Minas, que prevê investimentos de aproximadamente R$ 1 milhão para esta ação.

Em 2008 o IMA conseguiu atingir a meta ao certificar 381 propriedades cafeeiras. Para 2009 o Certifica Minas, que é gerenciado pelo órgão desde 2007, estima a certificação de 800 propriedades de café, sendo a re-certificação das 381 qualificadas ano passado e 419 novas propriedades.

A atividade faz parte do Programa de Certificação de Propriedades Cafeeiras, coordenado pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e gerenciado pelo IMA. A expectativa do Projeto Estruturador é certificar, até 2011, 1.500 propriedades de café.

Não há restrição para se obter a qualificação que está disponível para produtores de grande e médio porte e também àqueles pequenos, muitas vezes atrelada à agricultura familiar. Atualmente as regiões que possuem maior número de propriedades certificadas são Sul e Sudeste.

Para o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto, essa qualificação oferece aos produtores ampliar a inserção de seu produto em outros mercados, incrementando o agronegócio mineiro. “Com a certificação de propriedades produtoras de café todos saem ganhando: o produtor amplia seu mercado e agrega valor ao seu produto, os consumidores têm produtos de mais qualidade e o mercado mineiro fica mais competitivo e ganha mais espaço em outros países”.

O processo de certificação

A inscrição no programa, a assistência técnica e as orientações para adequação das propriedades são feitas, gratuitamente, pela Emater-MG. Na fase de adequação, o produtor recebe orientação e executa trabalhos para atender à legislação trabalhista, ambiental e de boas práticas de produção. Feitas as modificações, o IMA realiza a auditoria de conformidade nas propriedades aptas e emite relatório recomendando ou não a certificação.

Se aprovado pelo instituto, o produtor será auditado pela certificadora suíça IMO Control do Brasil, conveniada com o Governo Mineiro, que concede a certificação às propriedades candidatas ao selo.

O café da propriedade produtora que detém o certificado tem a garantia de procedência por aprovar que o café está livre de contaminação física, química e biológica; possui informações sobre o café desde o plantio até o consumo através da rastreabilidade; boas práticas de produção e outros requisitos.

Notícias relacionadas