Inverno deixa o município em alerta para casos de gripe A

Inverno deixa o município em alerta para casos de gripe A

Unidades de Saúde reforçadas e mais leitos hospitalares prestes a serem ativados. Apesar da campanha de vacinação contra a gripe A estar na reta final, Araxá está em alerta para casos graves que poderão vir com a segunda onda do vírus H1N1 no país.

Com a chegada do inverno, várias ações estão sendo preparadas para o próximo mês. Enquanto as estratégias são traçadas para evitar um quadro epidemiológico preocupante, como ocorreu no ano passado, a gripe já mostra a sua força: duas pessoas já morreram este ano em Minas por Influenza A e 48 estão com suspeitas de contaminação. Até o momento, cinco casos foram confirmados e 173 estão em investigação no Estado.

A primeira onda da gripe que chegou ao Brasil em abril de 2009 e matou 1,7 mil brasileiros, sendo 145 só em Minas, trouxe experiência para o enfrentamento da doença na segunda onda. O H1N1, ao contrário do que muitos pensam, não foi embora e já corresponde a 92% dos vírus de gripes que circulam no país.

O superintendente de Atenção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Marco Antônio Bragança Matos, afirma que a assistência deve ser organizada em todos os pronto-atendimentos municipais do Estado.

“O protocolo de enfrentamento do H1N1 será disponibilizado nos próximos dias no site da SES. A partir disso, serão realizadas capacitações dos profissionais e oficinas. Serão definidos hospitais referência nas microrregiões, com leitos disponíveis de acordo com a necessidade.”

O secretário municipal de Saúde, Antônio Marcos Belo, diz que não só Araxá como todo o país está em alerta com o início do inverno.

“Estamos nos preparando para enfrentar uma nova onda de gripe A. Só no último sábado (8), cerca de 4 mil pessoas foram vacinadas no município. Além dos postos de saúde, disponibilizamos a vacina em alguns supermercados da cidade e isso facilitou o trabalho dos profissionais da saúde, já que muitas pessoas procuraram pela vacina. Já foram registrados alguns casos em São Paulo e Minas e nós temos que ficar em alerta para identificar o mais rápido possível as pessoas que apresentarem a doença.”

De acordo com o secretário, a estrutura médica em Araxá está mais bem preparada neste ano. “Inclusive, teremos na nova UTI da Santa Casa, que será concluída no início do próximo mês, um espaço para leito de isolamento que vai facilitar o atendimento de casos mais graves”, afirma.

“Temos uma equipe já treinada para realizar a coleta para identificar os casos de gripe A. Apreendemos muito com a onda do vírus no ano passado e tenho certeza que este ano estamos mais preparados. A expectativa é que a onda seja mais branda em 2010, mas estamos prontos para enfrentá-la e oferecer um atendimento de qualidade às pessoas contaminadas”, acrescenta Antônio Belo.

Reta final

No cerco ao H1N1, a vacina é a melhor proteção e a campanha está na reta final. Nesta segunda-feira (10) começou a última etapa da vacinação, direcionada às pessoas de 30 a 39 anos e termina no próximo dia 21.

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 30 milhões de pessoas fazem parte desse grupo e a meta é vacinar 80% dos adultos no país. Já foram imunizados 50 milhões de brasileiros. As gestantes foram o grupo de menor adesão à campanha. Ainda segundo o ministério, 1,9 milhão de grávidas, ou 64%, procuraram as doses.

Minas já vacinou até o momento 434.263 crianças entre 6 meses e 2 anos, o que corresponde a 111,92% da cobertura. A meta foi superada, mas a imunização desse grupo ainda não terminou. Pais e responsáveis devem ficar atentos, pois para crianças de seis meses a 2 anos a vacina é aplicada em duas meias doses, sendo importante o intervalo de 30 dias entre as duas aplicações.

 Até o próximo dia 21 de maio, a população brasileira de 30 a 39 anos será imunizada contra a Influenza A (H1N1). Ao todo o grupo é composto por 3.017.405 adultos.

A meta continua sendo imunizar 80% dessa fatia da população e até o momento já foram vacinados cerca de 20% deste grupo etário que provavelmente foi imunizado em outras etapas (trabalhadores de saúde e portadores de doenças crônicas).

Notícias relacionadas