Super banner
Super banner

José Domingos pede retirada do projeto que aumenta crédito suplementar

José Domingos pede retirada do projeto que aumenta crédito suplementar

Os vereadores se reuniram nesta manhã (28) com o chefe do Controle Interno da prefeitura, Arnildo Antônio Morais, para discutir a pretensão do prefeito Jeová Moreira da Costa em aumentar o percentual de crédito suplementar de 25% para 45%. Arnildo explicou as necessidades do aumento, mas ao fim da discussão o vereador José Domingos Vaz (PDT), da base do governo, pediu a retirada do projeto de lei do Executivo enviado à Câmara.

Arnildo diz que há casos em que a prefeitura está necessitando remanejar recursos nos próximos três meses referentes aos valores autorizados no Orçamento de 2009. Já em 2010, a suplementação voltaria aos 25%, que, segundo ele, já foi utilizado este ano.

“Estamos solicitando que altere o valor para 45%. Um dos motivos que isso está acontecendo é que até então a coleta de lixo era realizada por um processo licitatório e tinha uma empresa que fazia a coleta. Na atual administração, não é a empresa que está fazendo, é a própria prefeitura. Daí, a gente tem que remanejar valores que estavam previstos para pagar a empresa”, diz.

O vereador Marco Antonio Rios (PSDB) foi o mais incisivo durante a discussão. Ele chegou a dizer que era muita cara de pau e uma afronta ao Legislativo o pedido de aumento para a abertura de crédito suplementar. “É um absurdo. Isso aqui é afrontar todos nós, vereadores. Além disso, nós estamos votando todos os dias em abertura de crédito especial”, declara.

A vereadora Lídia Jordão (PP) afirma que aprovar o aumento seria o mesmo que dar um cheque em branco para o prefeito.

Demais vereadores se limitaram a perguntas para Arnildo e César Romero da Silva (PR) –  Garrado – respeitou o pedido de aumento e diz que cada prefeito tem sua maneira de administrar.

A modificação permitiria a prefeitura ter uma maior flexibilidade (movimentação) – R$ 46,35 milhões (receitas/gastos públicos)  – do Orçamento 2009 (R$ 103 milhões) sem necessitar, praticamente, de autorização legislativa.

Ao final da discussão, o vereador José Domingos entendeu, por bem, solicitar a retirada do projeto e Arnildo vai encaminhar o pedido ao secretário municipal de Planejamento e Gestão, José Clementino dos Santos.

Notícias relacionadas