Mauro Chaves questiona relatório de auditoria realizada na Prefeitura de Araxá

Mauro Chaves questiona relatório de auditoria realizada na Prefeitura de Araxá

O vereador Mauro Chaves (PDT) questionou o relatório entregue pela Prefeitura de Araxá que traz o resultado da auditoria realizada por uma empresa particular contratada pela Administração Municipal, referente ao ano de 2013, em que estava à frente do Poder Executivo o ex-prefeito Jeová Moreira da Costa, nesta semana. Segundo ele, é preciso ter cautela com tudo o que foi apresentado e revela ainda que existem também pontos positivos no relatório, pois não apresenta nenhuma conclusão de que houve, por exemplo, superfaturamento nos contratos.

Inicialmente, Mauro questionou o valor pago pela atual Administração para uma empresa particular, de Belo Horizonte, um valor próximo de R$ 280 mil para um serviço de seis meses. Segundo ele, a empresa prestou um serviço similar à Prefeitura de Belo Horizonte que desembolsou, em 2013, R$ 302 mil pelo serviço. “Será que esses valores cobrados aqui, estão dentro da realidade?”, questiona.

Sobre as irregularidades apontadas no relatório, Mauro afirma que vai analisar tudo primeiro, para depois dar seu parecer. “Não se sabe se é vício formal, se é vício de procedimento, que tipo de irregularidade é. Mas o que me chamou a atenção, no que foi detectado por eles, é que não existe no relatório apontamento de que houve superfaturamento”, afirma.

Segundo ele, mesmo que inexistente essa possibilidade, as pessoas começam a condenar imediatamente os agentes políticos e, por isso, é preciso tomar cuidado ao dizer inverdades. “Infelizmente existem boatos dizendo que o ex-prefeito Jeová estava cometendo irregularidades e roubando o patrimônio público. Tudo isso é muito precipitado”, alerta.

Mauro destaca ainda a sugestão do relatório de que seja realizada uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as irregularidades apontadas. “Vamos fazer a CPI, mas não só de 2013. Vamos pegar os últimos 10 anos, as últimas administrações. Por que só um ano? Vamos buscar todas as irregularidades que existiram no passado!”.

Ele destacou ainda que irá avaliar tudo referente à auditoria, desde a contratação da empresa até as irregularidades apontadas por ela e, ao final, dirá se é ou não a favor da CPI “Eu estou falando tudo isso porque a Administração passada não está aqui para se defender e esses comentários de maliciosos, de que houve desvio, no relatório não fala referente à isso ou à superfaturamento”, completa.

Notícias relacionadas