Minas investe R$ 20 milhões no combate à dengue

Minas investe R$ 20 milhões no combate à dengue

O governo de Minas lançou, nesta quinta-feira (18), o Plano Estadual de Enfrentamento da Dengue. As ações previstas estão baseadas na assistência aos municípios, vigilância à saúde e comunicação com a sociedade para divulgação de práticas necessárias para o combate à doença.

No ano passado, as cidades com maior índice da doença em Minas Gerais foram Belo Horizonte, Coronel Fabriciano, Sete Lagoas, Governador Valadares e Teófilo Otoni. Juntos esses municípios concentraram 77,1% dos casos registrados no Estado.

“A origem, o foco da doença está nos mosquitos, cujo criatório está dentro das casas das pessoas, na maior parte das vezes. Então, é importante que a população tenha conhecimento, informação e participe desse combate. E, ao mesmo tempo, caso venha a ser infectado, tome todas as precauções devidas, especialmente, com a questão da hidratação, tomando bastante líquido”, diz o governador em exercício, Antonio Augusto Anastasia

Investimentos

Em relação aos recursos, o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques, destacou que já estão previstos no Orçamento do Estado R$ 10 milhões para a primeira fase das ações de combate à dengue e que outros R$ 10 milhões também serão liberados.

O secretário explica que a comunicação será um dos focos fundamentais do plano devido à necessidade de envolvimento da sociedade no combate ao mosquito.

Ações

O Plano Estadual de Enfrentamento da Dengue também prevê auxílio às prefeituras para a elaboração de planos municipais. Cada cidade deverá organizar os serviços de saúde e pactuar os fluxos de assistência nos níveis municipal, micro e macrorregional, definir o serviço de referência de atenção primária para os finais de semana, dimensionar os insumos e medicamentos necessários para o tratamento e colocar em prática planos emergenciais de assistência para responder a uma situação de anormalidade.

Já na assistência à saúde as ações do Plano Estadual de Enfrentamento da Dengue serão centradas no diagnóstico precoce e hidratação vigorosa. Para isso, deve haver aumento no alerta dos profissionais de saúde e da população para os sinais e sintomas; melhora no acesso dos pacientes ao atendimento.

Também será mais intensa a classificação dos pacientes de acordo com gravidade da situação clínica; organização do encaminhamento e atendimento dos casos de Febre Hemorrágica da Dengue e monitoramento de todos os pacientes diariamente, independentemente da gravidade, até a cura.

Em 2009 foram notificados 80.683 casos de dengue em Minas Gerais, um aumento de 1,8% com relação a 2008, quando foram notificados 79.223 casos. Nas três primeiras semanas de 2010, foram notificados 9.658 casos, uma elevação de 89% no número de casos notificados no mesmo período de 2009.

Com informações da Agência Minas

Notícias relacionadas