Minas registra expansão acima da média nos empregos formais

Minas registra expansão acima da média nos empregos formais

Minas Gerais encerrou o mês de outubro mantendo-se acima da média nacional em geração de empregos formais no acumulado de 2008. Nos dez primeiros meses do ano, o Estado gerou 252.705 novos postos de trabalho, um crescimento de 8,11%. No mesmo período, o aumento médio no Brasil foi de 7,42%. No acumulado de 12 meses, a taxa mineira também supera a brasileira. Foram 234.222 novas vagas, uma variação positiva de 7,29% contra 6,57% da média nacional.

Os dados são da pesquisa mensal do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), divulgada nesta quinta-feira (20), em Brasília, e que já indicam ligeiro arrefecimento em virtude da desaceleração da economia mundial.

Em números absolutos, Belo Horizonte lidera em geração de empregos por município no ano, com 58.958 postos (7,51%), seguido por Uberlândia, com 10.398 (7,92%), Contagem, com 8.955 (6,26%); Ipatinga 5.660 (9,37%) e Juiz de Fora 5.496 (5,47%).

Proporcionalmente, lideram na geração de postos de trabalho os municípios de Nova Serrana (29%), Congonhas (27%), Capelinha (24,13%), Nanuque (24%) e Três Pontas (20,8%).

Apesar da crise internacional, diversos setores da economia mineira mantiveram a tendência de alta na geração de vagas em outubro, como calçados (1,83%), serviços de transporte e comunicação (0,95%), madeiras e mobiliário (0,94%), comércio (0,72%), serviços médicos e odontológicos (0,61%), setor têxtil e vestuário (0,55%) e construção civil (0,54%).

Em números absolutos, os segmentos que mais contribuíram no período foram o comércio, com 5.067 novos postos e a construção civil, com 1.516 admissões.

O município de Ipatinga foi o que mais abriu postos no mês. Foram 575 novos empregos, o que equivale a um crescimento de 0,90% em relação ao mês anterior. Na seqüência estão Uberlândia, com 568 novas vagas (0,40%) e Montes Claros, com 444 admissões (0,85%).

Notícias relacionadas