Moradores do Alto Paulista recebem água mineral por decisão judicial

Uma decisão judicial determinou que a Prefeitura de Araxá passasse a fornecer de imediato galões de água mineral aos moradores do Alto Paulista, no Barreiro. De dois em dois dias, os moradores recebem 20 litros de água. Esta é uma medida cautelar até o fim do prazo estipulado pela Justiça para que a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) apresente um laudo constando ou não a presença de Bário na água que os moradores bebiam e ainda utilizam para tomar banho e demais afazeres. A juíza da 2ª Vara Cível de Araxá, Andreísa de Alvarenga Martinoli Alves, deferiu o pedido do Ministério Público.

A dona de casa Suzana de Fátima Gervásio diz que não está satisfeita com os galões de água. “Queremos água tratada e rede de esgoto, a doação da água é apenas o cumprimento de uma determinação”, afirma. Ela diz que a filha tem problemas na pele e alergias constantes. “Usamos a água para beber e fazer comida, mas para tomar banho continua aquela outra.”

Mãe de quatro crianças e moradora do Barreiro há 30 anos, a dona de casa Aparecida da Silva ainda não recebeu os galões. “Eu tenho que buscar água na casa do meu pai, já informei ao pessoal da prefeitura que passa entregando a água, mas eles falaram que meu nome não está na lista.”

O presidente da Associação dos Moradores do Barreiro, Gilson Baltazar dos Santos, afirma que entrou em contato com a prefeitura para que o caso de Fabiana seja solucionado.

A partir do laudo da Copasa, que tem 30 dias para confirmar ou não a presença do elemento químico na água, novas audiências serão marcadas pela Justiça.

Notícias relacionadas