Super banner
Super banner

Mudança da Escola de Aplicação para o Centro revolta pais e alunos

Mudança da Escola de Aplicação para o Centro revolta pais e alunos

Passeata próxima à sede da prefeitura, na Olegário Maciel - Foto: Jorge Mourão

Da Redação/Isabella Lima – Uma passeata de pais e alunos da Escola Municipal de Aplicação Lélia Guimarães (tempo integral), no bairro São Geraldo, movimentou a prefeitura na tarde desta quarta-feira (1º). Os manifestantes caminharam pela rua Olegário Maciel com cartazes e gritos de protesto contra a mudança da escola do campus do Uniaraxá, onde funciona há mais de 20 anos, para a antiga sede da Secretaria Municipal de Saúde, no Centro da cidade.

Na última sexta-feira, os pais dos alunos simplesmente foram comunicados sem serem ouvidos pela Secretaria Municipal de Educação sobre a transferência. Com 280 alunos entre a 1ª e a 4ª série, a escola atende os bairros São Geraldo, Leblon, Novo São Geraldo, Abolição, Armando Santos, Santa Mônica e São Francisco. Com a mudança da sede, a prefeitura se comprometeu com o transporte para os alunos.

Entretanto, os pais listam como principais motivos de insatisfação a falta de estrutura do prédio central – que seria pequeno para o número de alunos, sem área para recreação e com muitas escadas – e também a falta de justificativa para a mudança.

Marco Aurélio de Faria (Pelé), presidente da Associação do Bairro São Geraldo e porta-voz dos manifestantes, disse que a passeata ocorreu para cobrar do poder público municipal a revisão da decisão de mudar a sede da escola.

“A medida é inconsequente, arbitrária e ele (prefeito Jeová Moreira da Costa) não ouviu a comunidade. Resolvemos mostrar para o senhor prefeito que a coisa não deve ser tratada assim. Não podemos de forma nenhuma aceitar a forma imposta como a mudança aconteceu”, afirma.

Na sede da prefeitura, os manifestantes se reuniram com assessores porque o prefeito Jeová Moreira da Costa estava em um encontro com empresários franceses que visitam a cidade. Lúcia Helena, chefe de Gabinete, explicou que essa foi a primeira vez que procuraram a prefeitura para tratar do assunto.

“Não acredito que o prefeito vá tomar qualquer atitude contra a comunidade. Com certeza ele tem um planejamento, porque ele não faz nada afoitamente. Certamente ele já se reuniu com a Secretaria de Educação, eu confio no bom senso dele”, diz.

Uma comissão representada por pais, representantes dos bairros e prefeitura foi criada para que o assunto seja discutido com o prefeito. Uma reunião está prevista para a tarde desta quinta-feira (2).

Notícias relacionadas