NOTA: Sindicato envia nota de repúdio ao vazamento de ácido sulfúrico na Vale Fertilizantes

NOTA: Sindicato envia nota de repúdio ao vazamento de ácido sulfúrico na Vale Fertilizantes

O vazamento de ácido sulfúrico ocorrido na Vale Fertilizantes na última sexta-feira (27/11) não nos causou nenhuma surpresa, e sim indignação. Afinal, há tempos que temos alertado para as condições precárias da fábrica. Asseguramos que, ao contrário da nota que a assessoria de comunicação da empresa enviou à imprensa, o acidente foi de grandes proporções.

 A Vale informou que o vazamento foi controlado, mas é pura balela, apenas uma desculpa para enganar a opinião pública. Aquela fábrica, como tem sido denunciado pelo Sima, é um queijo suíço, com um grande número de problemas na área de ácido sulfúrico. Há trincas na barreira de contenção e na canaleta de escoamento, permitindo que o ácido contamine o subsolo e vá para o lençol freático. Os diques de contenção estão cheios de material sólido, o que impede a contenção de ácido, que passa livremente, atingindo as barragens.

 A Vale tentou uma medida emergencial para diluir o ácido com água. Esse procedimento, embora normal, forma nuvens gasosas que são levadas pelo vento em alguns locais da fábrica, provocando irritação alérgica na pele e nos olhos dos trabalhadores. Estes acidentes vêm acontecendo constantemente, causando mutilações e danos à saúde dos empregados e vem a Vale com desculpas, através de notas evasivas, superficiais e sem consistência.

 Essa é uma evidência de que a Vale não tem respeito com o meio ambiente, agindo sempre de forma obscura, pois nem se dignou a acionar a Polícia Militar do Meio Ambiente, como seria sua obrigação. O órgão só ficou sabendo da ocorrência de vazamento através da imprensa local.

 A negligência da mineradora já está mais do que comprovada, com a tragédia de Mariana, que provocou mortes, mutilações e danos irreparáveis ao meio ambiente e a várias famílias. O que se espera agora, com a fiscalização dos órgãos responsáveis, é que a empresa esclareça de fato esse vazamento e tome providências urgentemente, a fim de garantir a integridade do meio ambiente e a segurança dos trabalhadores e de toda a comunidade de Araxá.

Vicente Magalhães de Matos

Presidente do Sima

Ascom/Sima

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: