O adeus a Ganso

O adeus a Ganso

O ex-capitão do Araxá Esporte Clube, Nilton Germano da Silva, o popular Ganso (apelido que originou o mascote do clube), faleceu nesta madrugada (13) por insuficiência cardíaca causada por uma trombose venosa aguda, na Santa Casa de Misericórdia, após 32 dias de internação.

O corpo do ex-jogador está sendo velado nesta tarde no Velório Municipal Passo da Saudade e será sepultado às 16h, no Cemitério São João Batista. Ganso deixa a esposa Nilza e quatro filhos. Ex-jogadores e dirigentes do Araxá, representantes do futebol amador, torcedores, amigos, imprensa esportiva e demais admiradores de Ganso acompanham o velório.

Os familiares agradeceram ao apoio dos ex-companheiros de clube Aloísio, Aguinaldo e Dandico, que auxiliaram Ganso durante o período de internação.

Capitão iluminado

O zagueiro capitão Ganso cravou a sua história no Araxá ao marcar, de pênalti, um dos gols na partida que classificou o Alvinegro para a divisão de elite do Campeonato Mineiro, em 1967, na final contra a Usipa, de Ipatinga. O outro gol foi marcado pelo amigo ponta-direita Aguinaldo. O Araxá venceu, de virada, por 2 a 1. Tal feito fez com que o nome Ganso desse apelido ao time.

“É uma perda muito grande, lamentável, principalmente para essa área nossa que é o esporte. O Ganso é um patrimônio de Araxá e seu nome fica gravado para a eternidade. Quem lembrar do nome do Araxá Esporte, vai lembrar o nome da pessoa de Nilton Germano”, diz Aguinaldo.

Na volta ao passado, o ex-ponta conta como foi a emoção de estar ao lado de Ganso na inesquecível vitória contra a Usipa.

“Relembrar aquele jogo, num Fausto Alvim literalmente lotado, e aquele gol que ele fez, e eu tive a oportunidade de fazer o segundo gol, fez com que o estádio ganhasse iluminação e outras melhorias. Ele era o nosso capitão, o nosso líder, grande amigo, um grande companheiro, um grande chefe de família. Uma recordação que vai ficar para sempre na imagem da gente.”

Notícias relacionadas