Os escândalos do Legislativo e os reflexos nas eleições municipais

Os escândalos do Legislativo e os reflexos nas eleições municipais

Foi com muita alegria e com um eterno sentimento de gratidão, que recebi de Daniel Honorato (meu colega de profissão e um dos sócios do Diário de Araxá) o convite para integrar o time de colunistas deste que é o maior site de notícias de Araxá e região. Com toda liberdade de falar sobre o assunto que mais me despertar interesse, semanalmente virei à essa página expor ideias e, quem sabe, levantar debates sobre assuntos que nos cercam em Araxá, no Estado e também no país. Com a força das redes sociais, fica cada vez mais fácil opinar, mas ter um espaço fixo para abordar assuntos que muitos querem falar é de fato uma conquista que só veio graças ao reconhecimento de alguns anos exercendo a profissão. Obrigada família Diário de Araxá pelo convite, pelo reconhecimento e espero que essa parceria dure muitos anos!

Meu primeiro assunto: eleições municipais! E hoje vou me conter em destacar somente a Câmara Municipal. Engana-se o eleitor que acredita que o período eleitoral só começa com o lançamento das pré-candidaturas e logo depois com a confirmação dos nomes que disputarão as cadeiras para vereadores, prefeito e vice. Tem vereador que desde o dia que foi eleito e especialmente quando sentou na sua cadeira e sentiu o sabor do poder e de certas influências que tem, não cogita mais deixar a vereança e trabalha diuturnamente para se manter no Legislativo. Não elabora projetos importantes, ou briga por causas de interesse público, mas pura e simplesmente busca recursos para destinar aos eventos e entidades ligados à ele para manter aquele reduto eleitoral e garantir a vitória na eleição seguinte.

Porém, tivemos um período tenebroso desde a última eleição (2012), com o processo de cassação do ex-prefeito Jeová Moreira que se estendeu nos primeiros anos de mandato (2013 e 2014), sendo declarado prefeito logo em seguida Aracely de Paula, foram dois anos de pura incerteza para a população que acreditou que a cidade então poderia caminhar em paz e ver a desenvolvimento de volta. Mas, mal começou 2015, e estourou o escândalo envolvendo a Câmara Municipal, vereadores presos suspeitos por terem desviado recursos da Santa Casa de Misericórdia. Foram afastados, alguns renunciaram ao cargo e um apenas cassado por envolvimento no escândalo.

Enfim, ao contrário do que muitos dizem, 2015 não deve ser um ano a ser esquecido, pelo contrário, devemos lembrar especialmente neste ano eleitoral de tudo o que um candidato promete na campanha e, caso seja eleito, acompanhar muito de perto suas ações e como se posiciona. Os escândalos que rondaram a Câmara Municipal devem servir de lição e ser o norte para que os eleitores aprendam a “separar o joio do trigo” e garantir representantes que de fato se preocupem com a cidade como um todo. Atenção eleitores!! Um candidato que usa de meios ilícitos para garantir seu voto, caso eleito, sairá muito caro para uma população, seja ela carente que necessite dos mais básicos atendimentos de saúde, educação e serviços sociais, e até mesmo aquela parcela abastada que só conseguirá ter projetos do sei interesse aprovados, se houver um lobby muito forte junto a esses que só querem as benesses do cargo.

Os amigos do rei

Falando em Câmara Municipal, uma assessora muito influente de um vereador que hoje não está mais no Legislativo (devido aos escândalos de 2015) assumiu um cargo extremamente importante na Prefeitura de Araxá e que requer muito conhecimento na área do ensino. Não que essa ex-assessora seja despreparada, ela tem experiência para trabalhar com comunicação, mas determinados cargos requerem um conhecimento específico na área e não deveriam ser cargos meramente políticos. O fato é que, Em Off, o rei que continua com a coroa, tem enfrentado lobbys para que os amigos do rei deposto, não fiquem a ver navios.

Por Aline Rezende

Notícias relacionadas

2 Comentários

Deixe um comentário: