Outubro Rosa é celebrado em Araxá com caminhada

Outubro Rosa é celebrado em Araxá com caminhada

Da Redação – Uma caminhada neste domingo (16) no Complexo do Barreiro marcou as comemorações do Outubro Rosa, que busca conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama e do acesso ao tratamento em todo o mundo. A iniciativa surgiu na Califórnia (EUA), em 1997, e ganhou notoriedade ao iluminar com holofotes cor de rosa monumentos como a Torre de Pisa, na Itália, e o Arco do Triunfo, na França.

A ação foi promovida pela Secretaria Municipal de Saúde e contou com a presença de dezenas de pessoas. Com camisetas, balões e bottons da campanha em rosa, os participantes levaram a mensagem de prevenção ao câncer a frente e chamaram a atenção por onde passaram.

Neste mês o governo de Minas anunciou medidas para reforçar o diagnóstico precoce do câncer de mama em mulheres de 45 a 69 anos. “O Ministério da Saúde recomenda a realização da mamografia a partir dos 50 anos. Nós vamos reduzir esta idade para 45 anos, portanto vamos aumentar as possibilidades de salvar vidas. O câncer de mama tem ceifado a vida de muitas mulheres e precisamos atuar de forma enfática no sentido de evitar estas mortes”, declarou o secretário de Estado de Saúde, Antônio Jorge de Souza Marques.

As mamografias serão realizadas em mulheres sem sintomas aparentes, ampliando, desta forma, o acesso das mineiras ao diagnóstico e tratamento. A medida vai dobrar o número de exames. Cerca de 340 mil mamografias foram realizadas em 2010.

O secretário lembrou que um terço das mulheres descobre que está com câncer já em um estágio avançado e que um dos desafios é encurtar o período entre o diagnóstico e o início do tratamento. “Para isso vamos criar um sistema que vai digitalizar as imagens, com envio pela internet, para que localidades distantes tenham estas mamografias analisadas rapidamente por um especialista. Desta forma resolveremos o problema da falta de alguns profissionais nas regiões do Estado que têm maior demanda”.

Dados parciais do Programa de Avaliação e Vigilância do Câncer da Secretaria de Estado de Saúde apontam que, em 2007, a mortalidade por 100 mil mulheres foi de 981. Já em 2008, o número de óbitos passou para 1.076 e, em 2009, para 1.071.

Em Minas Gerais, de janeiro a setembro de 2011, 196.020 mulheres de 45 a 69 anos realizaram a mamografia. Em todo o ano passado, 341.622 mulheres fizeram o exame.

Com Agência Minas

Notícias relacionadas