Super banner
Super banner

Participantes do Vidança entram em contato com a natureza

Participantes do Vidança entram em contato com a natureza

Participantes durante atividade no Barreiro - Fotos: Caio Aureliano

DA REDAÇÃO – Desde agosto de 2012, o projeto Vidança vem proporcionando sensações diferenciadas para os mais de seus 30 participantes. Para marcar o retorno das atividades do projeto em 2013, o Vidança promoveu recentemente uma sessão de alongamentos, mesclada de passeio, na Estância Hidromineral do Barreiro. A iniciativa vem ao encontro do propósito do projeto que é trabalhar a expressão corporal e leva aos deficientes visuais o contato com a arte.

Segundo a idealizadora do projeto, Polyana Ribeiro, o contato com a natureza tem tudo haver com a arte da dança. “A gente tem uma ligação muito grande com o meio ambiente e a naturalidade do nosso corpo em contato com a natureza. Todos temos um sentimento mais gostoso. Nós tivemos a parte do alongamento ao ar livre e depois fizemos uma caminhada no próprio Barreiro. Tivemos algumas recreações para finalizar a atividade”, destaca.

Polyana também se referiu ao Barreiro como um dos cenários mais bonitos de Araxá que inspiram os participantes a dançar, um benefício e tanto para os deficientes visuais, pois, esta arte estimula a audição. “Por meio da música, eles precisam aprender a escutar bem o compasso com o objetivo de estimular a questão dos passos, principalmente no que se refere a eles não poderem enxergar. Então, a dança ajuda no sentimento da imaginação com o coração, porque podem ser mais livres”, comenta.

O projeto Vidança tem duração de 12 meses (até julho de 2013) e foi aprovado com recursos de cerca de R$ 360 mil, sendo que, desse valor, 60% foram captados na Lei Rouanet do Ministério da Cultura. Mais de 30 participantes incluindo crianças, jovens, adultos, idosos, deficientes visuais, estão incluídas nesta iniciativa.

“O projeto Vidança está trazendo mais juventude, sinto o corpo muito mais leve e respiro um pouco melhor. A dança coloca a gente mais para cima. Antes do projeto, eu era uma pessoa completamente diferente, sozinho, fechado em casa e não fazia novas amizades”, afirma o participante Ademar Monteiro de Castro, 69 anos.

Em 2013, novas inscrições já foram abertas para a participação de mais 10 pessoas até o dia 28 de fevereiro. As aulas acontecem duas vezes por semana na sede da CAK Centro de Dança, situada na avenida Imbiara, 130, Centro. Para mais informações sobre o projeto, o contato é (34) 3661.0448.

Notícias relacionadas