Super banner
Super banner

Pauta para negociação da Data-Base começa a ser formulada

Pauta para negociação da Data-Base começa a ser formulada

Sinplalto

O Sindicato dos Servidores Público Municipal de Araxá e Região (Sinplalto), a Associação dos Servidores da Prefeitura de Araxá (Aserpa) e a Cooperativa dos Servidores da Prefeitura Municipal de Araxá (Cosprema) iniciaram o debate para elaboração da pauta de negociação da Data-Base. A primeira reunião para formatação do documento aconteceu na nova sede do sindicato nesta quinta-feira, 4, e contou com a presença dos vereadores Marcílio da Prefeitura (PT) e a vereadora Néia da Uninorte (PDT), servidores municipais com mandato no Legislativo.

Uma nova audiência acontecerá nesta sexta-feira, 5, na sede da Cosprema, e terá a presença do líder do governo na Câmara Municipal, Carlos Alberto Cachoeira. O objetivo inicial é conhecer as reais condições financeiras da administração municipal para definição das ações prioritárias a serem negociadas. De acordo com a Lei Orgânica Municipal, o mês de maio é a data estipulada para que patrões e empregados representados pelo sindicato se reúnem para repactuar os termos dos seus contratos coletivos de trabalho.

O presidente do Sinplalto, Hely Aires, diz que a primeira reunião foi fundamental para união das entidades. “Pela lei da Data-Base, o sindicato é a única entidade que pode representar o servidor na negociação com o pode público sobre as melhorias salariais e de qualidade de trabalho. Mas, temos consciência que não somos a única entidade representativa do servidor e que temos vereadores, servidores públicos eleitos, que serão importantes para que a Data-Base atenda seus objetivos previstos na Lei Orgânica. Essa primeira reunião foi essencial para caminharmos juntos, unidos, em favor da categoria. Hoje, o nosso discurso e objetivo é um só, “a valorização imediata da categoria, independente de questões políticas”, ressalta.

Segundo Hely, uma pré-pauta será formatada para apresentação ao prefeito e aos servidores municipais. “Todos nós sabemos que o momento financeiro do município não é dos melhores. Mas, temos que sentar e conversar para saber o que pode ser feito para a categoria. Sabemos também que existem distorções salariais em diversos setores, temos realidades diferentes em cada departamento da prefeitura. Tudo deve ser analisado e considerado, mas a nossa proposta é reivindicar ações e melhorias de uma forma geral, para todos os servidores, independente do setor. A Data-Base é do servidor público municipal e a negociação não poderá ser por categoria”, esclarece o presidente.

De acordo com ele, uma Assembleia Geral Unificada acontecerá nos próximos dias. “Sinpalto, Aserpa e Cosprema realizarão uma assembleia em conjunto para que os servidores associados e filiados possam dar sugestões para a pauta de reivindicações e também conhecer a realidade do município. Não podemos chegar e solicitar um reajuste de 50%, por exemplo, porque a administração municipal não tem condições financeiras de atender. Temos que ser realistas. Uma negociação é pautada pelos princípios da boa-fé, do reconhecimento das partes e do respeito mútuo. Por isso, a nossa primeira ação foi convocar o líder do governo na Câmara Municipal, Carlos Alberto Cachoeira, para participar do debate. A expectativa é para que a Data-Base resulte em aumento significativo para o servidor e em boas melhorias nas condições de trabalho”, destaca Hely.

Notícias relacionadas