Pecuaristas de Minas terão que atualizar informações sobre rebanho

Pecuaristas de Minas terão que atualizar informações sobre rebanho

Os pecuaristas de Minas Gerais terão que atualizar as informações do cadastro do rebanho bovino junto ao Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). O recadastramento deverá ser feito na próxima etapa da campanha de vacinação dos animais contra a febre aftosa, marcada para o período de 3 a 30 de novembro. O produtor terá que declarar o número de cabeças existentes da propriedade, o sexo dos animais e a faixa etária.

A atualização deve ser feita por declaração formal do produtor ou por intermédio de representação. “Vamos unificar o calendário existente no IMA com aquele da Secretaria de Fazenda de Minas Gerais”, explica o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Gilman Viana Rodrigues.  Segundo ele, o objetivo é criar um cadastro único para o Estado, tanto qualitativo quanto quantitativo.

O produtor que tiver informações divergentes entre o cadastro do IMA e o da Secretaria de Fazenda ficará livre de multas, desde que faça a atualização no período estipulado. “A partir de 1º de dezembro a anistia acaba e o produtor estará sujeito a multas e outras penalidades”, alerta o secretário. A anistia, segundo Gilman Viana, vai “estimular a formalidade” entre os pecuaristas, pois muitos declaravam à Secretaria de Fazenda um número de animais diferente daquele informado ao IMA.

Além da unificação do cadastro, a Secretaria de Fazenda só passará a emitir notas fiscais de comercialização daqueles animais que tiveram a Guia de Trânsito Animal (GTA) emitida pelo IMA. O objetivo é aumentar o controle do gado que circula em Minas Gerais e evitar o surgimento de doenças que possam comprometer a sanidade o rebanho estadual. Minas Gerais tem o terceiro maior rebanho do país, com 22,3 milhões de cabeças.

Notícias relacionadas