PM usa a arte para conscientizar crianças sobre a importância do 190

PM usa a arte para conscientizar crianças sobre a importância do 190

Com música, poesia e teatro é que se desperta nas crianças e alunos do ensino fundamental a importância do serviço 190 e as consequências da má utilização por meio de trotes. Uma campanha da Polícia Militar de Minas Gerais chegou às escolas para chamar a atenção para os danos à população, provocados por esta prática.

De forma preventiva, a Diretoria de Apoio Operacional (DAOp), da PM, lançou, dentro das comemorações de 60 anos do Centro Integrado de Comunicações Operacionais (CICOp), o projeto “Amiguinhos do 190“. De forma lúdica, a importância do uso consciente do serviço de atendimento telefônico da polícia é despertado nas crianças e adolescentes.

A Polícia Militar atende, anualmente, somente na RMBH, cerca de sete milhões de chamados destinadas ao 190. Destas, historicamente cerca de 35% são improcedentes.  Em outubro de 2015, a média foi de 18 mil ligações/dia, sendo que 18% foram trotes e 31% de ligações desligadas após atendimento.

Com o desafio de reduzir estes dados estatísticos, o projeto “Amiguinhos do 190” foi concebido didaticamente para ensinar o público infanto-juvenil sobre o uso correto do Teleatendimento de Urgência e Emergência Policial.

O grande objetivo do projeto, criado pelo sargento Leonardo Silveira e pelo cabo Malça, é ter as crianças e adolescentes como importantes amigos do serviço 190, contribuindo para que eles entendam seu funcionamento e as consequências de sua má utilização.

Questões do projeto são abordadas em uma peça teatral, que reúne músicas, poesias e contação de estórias que colocam no centro da trama o grande vilão, representando o trote e a mentira. Esse personagem é combatido pela PM, com a ajuda dos professores e das crianças que acompanham as apresentações.

Orientando as crianças quanto o uso correto do telefone de emergência policial (190) e as consequências da mentira e do trote, a trama acontece no quarto do garoto Zezé, que junto com seus bonecos Mestre Bituca, Naná e Policial Militar irão viver uma aventura contra o terrível vilão, o Trote.

O desenvolvimento de conceitos básicos de trabalho em grupo, solidariedade e de respeito ao próximo também são tratados na peça, que tem em seu elenco os sargentos Leonardo (Zezé), Magela (Trote Vilão) e Françoise (Mestre Bituca), além do cabo Marcelo (Policial Militar).

“A educação e a arte são ferramentas de inclusão social e contribuem para a formação de cidadãos responsáveis”, destaca o sargento Leonardo Silveira. Segundo ele, o projeto acontece  inicialmente na Região Metropolitana de Belo Horizonte e, posteriormente, em todo o estado.

O “Amiguinhos do 190” foi lançado pelo CICOp no Museu Inimá de Paula, no último dia 9 de dezembro, e devido à repercussão positiva, possivelmente será incorporado pela Polícia Militar com a intenção de levá-lo a todos os centros integrados do estado.

Uma parceria com o Circuito Cultural Praça da Liberdade vem sendo construída para que o projeto Amiguinhos do 190 seja mais uma opção dentro do circuito.  As escolas que habitualmente visitam a Praça da Liberdade poderão conhecer o trabalho do CICOp no prédio do Comando de Operações Policiais Militares (Copom), na Rua da Bahia 2.115.

“Trote não tem graça, pode apostar. Enquanto alguém brinca, você pode precisar”, diz slogan da campanha

Consequências dos trotes 

Os prejuízos causados à sociedade pelos trotes ao 190 podem ser observados na falsa sensação de gratuidade, já que a conta dessas ligações é paga pelos contribuintes, e a impossibilidade de atendimento de uma ocorrência real, já que no momento do trote uma emergência deixa de ser atendida, o que pode colocar vidas em risco.

Como exemplo, o trote é capaz de gerar um deslocamento de viaturas que pode chegar ao custo de R$ 1 mil. Por meio de campanhas, a corporação tem feito com que esta realidade seja modificada. Em junho, registrou-se o menor pico de trotes, com 15% no total das ligações.

O trabalho de conscientização de crianças e adolescentes, com ações de curto, médio e longo prazo, é apontado pelo sargento Leonardo como uma possibilidade de mudança no cenário de utilização dos serviços do 190, já que nos horários de entrada e saída na escola e no tempo de recreio são os momentos em que mais acontecem os trotes.

O 190 é uma linha de emergência policial. O cidadão só deve ligar em casos de emergência. Constatada a ocorrência falsa, o responsável pelas crianças e adolescentes ou o adulto que pratica o trote pode receber as sanções penais, conforme os Art. 265, 266 e 340 do Código Penal. As penas podem ser concomitantes.

60 anos do CICOp

O lançamento do Projeto Amiguinhos do 190 faz parte das comemorações aos 60 anos do Centro Integrado de Comunicações Operacionais (CICOp).  Trata-se do antigo Copom que, desde a integração com Bombeiros e Polícia Civil, tornou-se CICOp.

O Centro integra a DAOp (Diretoria de Apoio Operacional).  Criado por meio da portaria n° 37, em 22 de julho de 1955, o Copom foi idealizado para valorizar o policial militar e proteger o cidadão, com o acolhimento das solicitações de atendimento por meio do 190.

 

 

 

Notícias relacionadas

Deixe um comentário: