Polícia Civil realiza encontro de mãe e filho após 33 anos de separação

Polícia Civil realiza encontro de mãe e filho após 33 anos de separação

Foto: Caio Aureliano

Da Redação/Caio Aureliano – A Polícia Civil de Minas, por meio da Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, realizou nesta sexta-feira (7), às 11h, um encontro emocionante. Após 33 anos de separado da mãe, Luciano Mansueto Costa, de 38 anos, procurou a Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, no dia 7 de maio passado e esse reencontro foi possível colocando fim a anos de angústia.

No mesmo dia em que ele procurou a polícia, a equipe de Araxá conseguiu localizar Maria de Fátima Mota, com a ajuda dos policiais civis da região.

Maria de Fátima Mota que deu a luz a Luciano, aos 20 anos de idade, quando morava em Ferros, também procurava pelo filho e afirmou ter ficado muito feliz com a notícia de que o filho estava a sua procura. Maria relatou que quando Luciano tinha apenas cinco anos de idade, ela aceitou uma proposta de trabalho em Araxá, justamente para oferecer melhores condições de vida ao filho e de lá mandava mensalmente uma ajuda financeira para que seus pais pudessem cuidar dele.

Tempos depois, Maria se casou em Araxá e retornou a Ferros para buscar o filho. Mas disse ter sido impedida pelos pais, já que eles tinham se apegado a Luciano e não se conformavam com a separação. Ela não desistiu, retornou a casa dos pais e quando chegou, não encontrou mais ninguém na residência.

Família

De terno e gravata para eternizar o momento, Luciano teve a chance de dizer “Benção Mãe”, após 33 anos. “É vida nova. Agora sim, consegui realizar o sonho de ver a minha mãe e os meus irmãos. Eu não sabia que tinha eles (irmãos) porque ela me deixou com cinco anos, aí consegui e Deus abençoou a minha vida. É um momento especial. Pra mim, foi um sonho realizado”, ressalta o filho.

Agora Maria vai ter a oportunidade de lhe dizer “Deus o abençoe, filho”. “O coração está a mil. Estou muito feliz. Deus lhe pague a todos que ajudaram a encontrar meu filho. Muito obrigado. Quero acarinhar ele bastante, dar muito beijo nele e ficar muito ao lado dele. Vamos ter tempo para bater papo”, declara a Maria.

Emoção

O delegado regional, Heli Andrade, afirma que foi um dia diferente dos demais e que o encontro mexeu com o seu coração de pai de família. “Mexe com todos até com vocês da imprensa. Nós notamos que todo mundo ficou emocionado. Isso se chama família. A partir do momento que o cidadão perde aquele vínculo familiar , aí ele corre o risco de se perder no caminho da vida”.

Com a chegada do filho, a família volta a ficar reunida novamente. Agora Luciano poderá viver bons momentos juntamente com a mãe e seus irmãos Fábio Cristiano Mota, Fabiano Batista Mota e Flávia Cristina Mota.

Notícias relacionadas